Vereadora de Aracruz contesta venda de leitos de UTI ao Estado

“Então o Hospital São Camilo virou hospital referência para atender casos do Estado de Covid? Já não temos Covid que basta em Aracruz?", questionou, decepcionada, a vereadora Dileuza Marins Del Caro

0
166
Foto: Arquivo Folha do Litoral

Mesmo sem ser referência no Estado, o Hospital Maternidade São Camilo, de Aracruz, que é particular, vendeu para o Estado os 20 leitos de UTI que seriam destinados a atender somente os pacientes de Covid-19 dos municípios de Aracruz, Ibiraçu e João Neiva. Segundo denúncia da vereadora Dileuza Marins Del Caro na sessão de segunda-feira 18 na Câmara, a unidade recebeu um paciente da Serra, com a doença, transferido pela Central de Regulação de Leitos do Estado, que estava internado no Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves.

Em ofício enviado à Câmara de Vereadores sobre o assunto, a secretária municipal de Saúde, Clenir Avanza, manifestou preocupação quanto à pactuação (venda) dos leitos do Hospital São Camilo ao governo estadual, reconhecendo que a pactuação permitirá a vinda para Aracruz de pacientes infectados de municípios que estão em crise: Vitória, Serra, Cariacica e Vila Velha. “Ressaltei junto ao Estado minha preocupação com a pactuação, realizada sem o consentimento ou parceria da secretaria municipal de Saúde, pois isso resultará no aumento da taxa de ocupação dos leitos no município em velocidade muito superior ao previsto, bem como o risco da lotação do hospital”, disse.

A vereadora Dileuza, se sentindo decepcionada, questionou. “Então o Hospital São Camilo virou hospital referência para atender casos do Estado de Covid? Já não temos Covid que basta em Aracruz?. Sei que todos, sem distinção, têm direito a um leito de UTI na forma grave da doença, que exige tratamento intensivo de UTI com respirador e outros equipamentos que salvam vidas. O que não sabia é que o Hospital São Camilo havia vendido todos os nossos leitos para o Estado, que a partir do negócio fechado, pode mandar para Aracruz quantos pacientes quiser, porque está pagando por isso”.

E continua: “o Governo do Estado está apenas cumprindo seu dever de comprar o maior número possível de leitos de UTI para os casos de Covid-19, mas questiono o Hospital São Camilo se foi pertinente vender todos os leitos de UTI, correndo o risco de deixar os pacientes de Aracruz sem atendimento. É triste e lamentável saber que pode chegar o momento em que alguém de Aracruz precisará de um leito de UTI e descobrirá que todos estão ocupados por pacientes de outros municípios”.

Dileuza explica que “tem muitas pessoas me chamando de egoísta e dizendo que se precisarmos de vagas em hospitais de outros municípios também não teremos direito. Quero esclarecer que nunca fui contra receber pacientes de fora, até porque isso sempre ocorreu. A questão é que existem outras doenças que precisam de leitos de UTI e nosso hospital não possui capacidade para atender essas demandas, e prova disso são os inúmeros pacientes necessitados de transferência para outros hospitais e também, os pacientes que aguardam cirurgias eletivas. Esses poderão esperar até quando? O São Camilo está pronto para ser hospital de referência para Covid-19 e também atender outas situações?”.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui