Suzano removeu 11,75 milhões de toneladas de CO² da atmosfera em 2019

Volume é equivalente a quase todas as emissões de automóveis leves e motocicletas do Estado de São Paulo durante um ano

0
57
Número apresentado no primeiro Inventário de Gases de Efeito Estufa da nova empresa é resultado de atividades de preservação de áreas nativas e da área de plantio. Foto: Divulgação

A Suzano apresentou o seu primeiro ‘Inventário de Gases do Efeito Estufa’ com dados consolidados após a fusão que deu origem à nova empresa. O resultado entre emissões e remoções de gases causadores de efeito estufa gerou um saldo positivo ambientalmente em 11,75 milhões de toneladas de CO² em 2019.

Ou seja, a companhia removeu da atmosfera quase 12 milhões de toneladas de gás carbônico em 2019, volume equivalente a quase todas as emissões de automóveis leves e motocicletas do Estado de São Paulo durante um ano.

O Inventário indica que a companhia capturou, a partir de sua base florestal composta por áreas de plantio e de preservação, o equivalente a 15,48 milhões de toneladas de CO² equivalente. O número é quatro vezes maior do que a emissão realizada no mesmo período, que ficou em 3,72 milhões de toneladas de CO². Estes números de remoção e emissão podem variar ano a ano dependendo do volume de eucalipto plantado e colhido, o crescimento da mata nativa, a produção fabril e a quantidade de produto entregue aos nossos clientes.

Os estudos mostram que aproximadamente 12 milhões de toneladas das 15,48 milhões foram removidas da atmosfera como resultado da extensa área plantada. O número é um reflexo da quantidade de floresta de eucalipto em pé e da quantidade de madeira que foi colhida, que foi menor em 2019. Já as florestas nativas contribuíram com a remoção de 3,34 milhões de toneladas de CO².

PUBLICIDADE