Covid-19: Suzano anuncia medidas para enfrentamento da crise

Uma das medidas anunciadas pela Suzano foi a compra direta junto a fornecedores chineses de um conjunto de 160 respiradores e um milhão de máscaras hospitalares para atender aos municípios com instalações e operações da empresa

0
523
A unidade da Suzano em Aracruz. Foto: Divulgação

Prefeitos, secretários de saúde e assessores técnicos dos municípios de Aracruz, São Mateus, Montanha, Cachoeiro de Itapemirim, Conceição da Barra e Pedro Canário se reuniram na tarde de terça-feira 31, para uma webconferência com representantes da Suzano para conhecer e debater as medidas adotadas pela empresa com a finalidade de prevenir os impactos da pandemia.

Uma das medidas anunciadas pela Suzano foi a compra direta junto a fornecedores chineses de um conjunto de 160 respiradores e um milhão de máscaras hospitalares para atender aos municípios com instalações e operações da empresa. Os equipamentos deverão chegar ao país até o final da próxima semana e, em seguida, serão distribuídos para cidades do Espírito Santo, Bahia, Mato Grosso do Sul e Maranhão.

A empresa também está doando 60 toneladas de produtos de higiene e limpeza, 300 mil litros de álcool 70 e 250 mil máscaras comuns para colaboradores, terceirizados e para a comunidade em geral. As iniciativas da empresa totalizam um investimento em torno de R$ 50 milhões.

Antes da quarentena determinada pelos governos municipais e estaduais, a Suzano suspendeu 100% das atividades não essenciais e algumas atividades operacionais, limitando em quase 60% a circulação de pessoal em suas unidades. Os escritórios fechados deram lugar ao trabalho home office e os colaboradores com mais de 60 anos, assim como aqueles pertencentes aos demais grupos de risco, como diabéticos, hipertensos e doentes pulmonares foram orientados a permanecerem em casa.

Até agora, a Suzano registrou em todo o país um caso confirmado de contaminação, na Unidade de Aracruz. O funcionário é morador de Cariacica e está internado em um hospital na Serra. De acordo com o presidente da empresa, Walter Schalka, todos os empregos de funcionários próprios e de terceirizados serão mantidos e não haverá demissão durante o período da pandemia. Tanto quem estiver trabalhando nas unidades quanto aqueles que foram afastados para cumprir o isolamento social, assim como os terceirizados, terão seus salários e benefícios mantidos de modo integral.

PUBLICIDADE