Sistema Indenizatório Simplificado ultrapassa R$ 2,4 bilhões de pagamentos

No Espírito Santo, valores foram pagos a atingidos de Baixo Guandu, São Mateus, Aracruz, Conceição da Barra, Linhares, Colatina e Marilândia

0
12
Baixo Guandu. Foto: Nitro Imagens

Os pagamentos de indenização por meio do Sistema Indenizatório Simplificado, no Espírito Santo, ultrapassaram R$ 2,4 bilhões em novembro, para mais de 23 mil pessoas. Desde o primeiro pagamento, em setembro de 2020, tanto no Espírito Santo quanto em Minas Gerais, mais de 46,5 mil pessoas foram indenizadas e os pagamentos passaram de R$ 4,5 bilhões. Valores foram pagos a atingidos de Baixo Guandu, São Mateus, Aracruz, Conceição da Barra, Linhares, Colatina e Marilândia.

Os valores individuais das indenizações, definidos pela Justiça, variam de R$ 17 mil a R$ 567 mil. Os valores por categoria de dano podem ser conferidos no site da Fundação Renova. Até outubro de 2021, a Fundação Renova pagou R$ 7,02 bilhões para 352 mil pessoas, somando o valor pago pelo Sistema Indenizatório Simplificado e por meio do Programa de Indenização Mediada (PIM) e de Auxílio Financeiro Emergencial (AFE).

No Espírito Santo, até o momento, Baixo Guandu, São Mateus, Aracruz, Conceição da Barra, Linhares, Colatina e Marilândia estão em processo de pagamento de indenização pelo Sistema Indenizatório Simplificado. Os recursos pagos em indenização chegam a superar os valores arrecadados pelos municípios em 2020.

Aracruz, importante polo industrial, recebeu valor expressivo para a economia local. Foram pagos R$ 347,8 milhões em indenização para 3,3 mil pessoas. A arrecadação própria anual de 2020 do município chegou a R$ 183 milhões. O prazo de adesão, conforme decisão judicial, encerra no dia 30 de abril de 2022 para 45 municípios impactados na bacia do rio Doce.

PUBLICIDADE