Rio de Aracruz dá nome a novo festival de cinema do Estado

Apoiado pela Prefeitura de Aracruz, o evento é realizado pela Satírica Filmes Produções

0
18
O rio Piraquê-açu forma em Aracruz a quinta maior área de manguezal do Brasil. Foto: Divulgação/PMA

Exibição de filmes, lives, mostras, palestras, rodas de conversa, sarau poético e show musical estão na programação do “1° Festival de Cinema Velas do Piraquê-açu”, que com apoio da Prefeitura de Aracruz, ocorre entre os próximos dias 26 e 27, no canal da Satírica Filmes no YouTube.

A ideia era de que o evento ocorresse em formato híbrido direto da vila de Santa Cruz, tendo o rio Piraquê-açu – que forma em Aracruz a quinta maior área de manguezal do Brasil – como cenário, mas com a vigência da quarentena contra a covid-19, ele será realizado apenas no formato virtual, em estúdio fora da cidade.

O festival terá quatro mostras especiais: ‘A Escola Vai ao Cinema’, com foco em atingir os alunos da rede pública municipal; ‘Piraquê-açu’, com filmes que homenageiam povos originários, realizadores indígenas e temas ambientais; ‘Pororoca’, que vai abordar feminicídio, homofobias e injustiças sociais; e ‘Guerrilha’, com um panorama de filmes alternativos.

Ao todo serão 32 filmes de curta-metragem selecionados entre 384 inscritos, de 20 estados brasileiros. Os melhores filmes serão premiados com o ‘Troféu Piraquê-açu’ nas categorias melhor ficção, melhor animação, melhor filme capixaba, duas menções honrosas e melhor filme eleito pelo júri popular, além do ‘Troféu Tupiniqueen’ para melhor filme de baixo orçamento.

PROGRAMAÇÃO

26/03 (sexta-feira)
09H00 – MOSTRA A ESCOLA VAI AO CINEMA
11h00 – Live com o cacique da aldeia Nova Esperança, Werá Djekupé, sobre o reflorestamento de 100 hectares do local
11h40 – Exibição do documentário de curta-metragem Temporada Azul, de Henrique Bressiane e Alexandre Batalha
14h00 – Roda de conversa com cineastas
15h30 – Palestra “Ódio à Arte: a Cultura de Esquerda e seus percalços”, com a historiadora Cíntia Braga
16h30 – Exibição do média-metragem Rio Itaúnas, de Kika Gouvea
17h20 – Palestra “Santa Cruz, de aldeia jesuítica a vila indígena: a trajetória de um lugar”, com o professor universitário Luiz Cláudio Ribeiro
18h20 – Mostra dos conteúdos produzidos por alunos das escolas de Aracruz
19h00 – MOSTRA GUERRILHA
21h30 – Sarau Poético

27/03 (sábado)
11h00 – Palestra “APA Costa das Algas, Manguezal e Rio Piraquê-açu”, com o geógrafo Alessandra Chakal
14h30 – Roda de conversa com cineastas
17h30 – MOSTRA PIRAQUEAÇU
19h00 – Mostra dos conteúdos produzidos por alunos das escolas de Aracruz
20h00 – MOSTRA POROROCA
22h00 – Cerimônia de premiação
22h30 – Live show com a cantora Simone Mazzer

PUBLICIDADE