Renova paga R$ 178 milhões em indenizações ao setor agropecuário capixaba

Ao todo, mais de 1,2 mil agricultores de oito municípios capixabas foram indenizados

0
65
Vista aérea das proximidades da foz do Rio Doce. Foto: Divulgação Fundação Renova/NITRO Histórias Visuais

Até o final do ano passado, as indenizações pagas ao setor agropecuário no Espírito Santo devido aos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão (MG) ultrapassam a marca de R$ 178 milhões. Ao todo, de acordo com a Fundação Renova, mais de 1,2 mil agricultores de oito municípios capixabas foram indenizados.

Do montante, R$ 90,4 milhões foram pagos pelo Sistema Indenizatório Simplificado, implementado por decisão da 12ª Vara Federal, e R$ 88,4 milhões, pelo Programa de Indenização Mediada (PIM) da Fundação Renova, em que a negociação ocorre de forma extrajudicial.

Linhares foi o município com o maior número de indenizações pagas para o setor agropecuário. Ao todo foram R$ 87,6 milhões. Em seguida, vem Baixo Guandu (R$ 32,8 milhões), Colatina (R$ 30,2 milhões), São Mateus (R$ 15,1 milhões), Marilândia (R$ 6,2 milhões), Aracruz (R$ 4,8 milhões), Conceição da Barra (R$ 1,9 milhão) e Serra (R$ 10 mil).

O atingido por dano na agricultura que deseja pleitear indenização junto à Fundação Renova tem disponíveis duas opções: o Sistema Indenizatório Simplificado e o Sistema PIM/AFE, que funcionam por meio de plataformas on-line no site www.fundacaorenova.org

PUBLICIDADE