Receita líquida da ECO101 chega a R$ 900 milhões em seis anos

Os seis anos de cobrança foram completados em 18 de maio, com os usuários sem terem o que comemorar, pois as duplicações nos trechos de maior volume de tráfego não foram feitas

0
39
Foto: Divulgação/ECO101

De acordo com o Relatório de Sustentabilidade da ECO101 Concessionária de Rodovias, publicado em seu site, a receita líquida nos seis anos de cobrança de pedágio na rodovia BR-101 foi de R$ 895,7 milhões, desde o início da cobrança, em 18 de maio de 2014, até dezembro de 2019.

Os seis anos de cobrança foram completados em 18 de maio, com os usuários sem terem o que comemorar, pois as duplicações nos trechos de maior volume de tráfego não foram feitas. Até abril deste ano, foram 149.143.009 motoristas pagando a tarifa nas sete praças.

E apesar do tráfego diário de quase 70 mil veículos pagantes por dia, somente 31,3 (6,6%) dos 475,9 quilômetros entre o trevo de acesso a Mucuri, no Extremo Sul da Bahia, e a divisa com o Rio de Janeiro foram duplicados. Nos seis anos de cobrança tarifária, segundo consta no site da ECO101, 3 km foram duplicados em Anchieta, 2,7 km em João Neiva, 4,5 km em Ibiraçu, 6,1 km em Iconha (contorno) e 15 km entre Viana e Guarapari, além da construção de viadutos e passarelas. Pelo contrato assinado em 2013, metade da rodovia já deveria ter sido duplicada.

Receita líquida (milhões)
2015: R$ 173.200
2016: R$ 167.090
2017: R$ 184.400
2018: R$ 190.060
2019: R$ 179.600
Total: R$ 895.700.000,00

Empresa alega queda de receita
No balanço de 2019, a ECO101 informa que no período de 2018 para 2019 houve uma queda de 5,8% na receita, contra um aumento de 3,3% de 2017 para 2018, alegando que a redução das tarifas de pedágio afetou os resultados financeiros em 2019. Com a evolução recente de acordo com o cenário da covid-19, a redução no volume de tráfego pago foi de 9,1%. O tráfego de veículos pesados na BR-101 responde por 66% do pedágio, contra 34% de veículos leves.

O portfólio do Grupo ECORODOVIAS, ao qual pertence a ECO101, inclui 11 concessões rodoviárias no Brasil, totalizando 3.086 km e um ativo portuário em Santos, São Paulo (Ecoporto), em oito estados localizados nos principais corredores comerciais das regiões Sul e Sudeste.

Em 2019, nessas rodovias, foram 346,6 milhões de veículos pagantes, dos quais 26 milhões na BR-101, que tem a maior extensão rodoviária no portfólio do grupo, que concentra 2/3 do PIB brasileiro.

PORTFÓLIO DA ECORODOVIAS
Eco101 (ES-BA) 476 km
Ecosul (RS) 457 km
Ecovias do Cerrado (MG/GO) 437 km
Eco050 (MG/GO) 437 km
Ecocataratas (PR) 387 km
Eco135 (MG) 364 km
Ecovias dos Imigrantes (SP) 177 km
Ecopistas (SP) 144 km
Ecovia Caminho do Mar (PR) 137 km
Ecorodoanel (SP) 48 km
Ecoponte – Ponte Rio-Niterói (RJ) 23 km

PUBLICIDADE