Procon e Ministério Público fiscalizam preços abusivos em supermercados

A orientação da Acaps é para que os associados informem qualquer ocorrência de elevação sem justa causa por parte dos fornecedores

0
13
Foto: Divulgação/Proteste

A Associação Capixaba de Supermercados (Acaps) firmou um termo de compromisso com o Ministério Público e o Procon Estadual para coibir o aumento abusivo de preços de produtos nos supermercados durante a pandemia de coronavírus. A orientação da entidade é para que os associados informem qualquer ocorrência de elevação sem justa causa por parte dos fornecedores para que, dessa forma, possa acionar os órgãos responsáveis, que adotarão as medidas cabíveis.

A Acaps afirma ainda que segue recomendando aos supermercados que não pratiquem o aumento dos preços sem justa causa em suas lojas, evitando possíveis penalidades. “Assumimos esse compromisso porque queremos contribuir para assegurar o equilíbrio e a boa-fé nas relações de consumo, com o objetivo maior de garantir os direitos dos consumidores capixabas”, afirma o presidente da Acaps, João Tarcício Falqueto.

Quanto ao perceptível aumento nos preços de determinados produtos, como alho, feijão, açúcar e leite, a entidade esclarece que o preço final contempla os custos de cada elo da cadeia de abastecimento, desde a sua produção. “No preço exposto nas gôndolas dos supermercados incorrem todos os custos de produção e de distribuição da mercadoria. Diante de custos maiores, o supermercado se vê obrigado a repassar esse aumento para o preço final”, explica Falqueto.

PUBLICIDADE