Primeira escola estadual indígena tem aula inaugural em Aracruz

A abertura da Escola Estadual Indígena é importante para a garantia dos direitos de um ensino de qualidade e da equidade no ambiente escolar para os estudantes indígenas

0
11
Equipe da secretaria de Estado da Educação. Foto: Divulgação/Sedu

O ano letivo de 2020 começou na terça-feira 04 também para os alunos da primeira Escola Estadual Indígena de Ensino Médio Caieiras Velha, em Aracruz. Uma aula inaugural marcou o início das atividades, com a presença do secretário de Estado da Educação, Vitor de Ângelo. Também participaram das atividades a gerente de Educação do Campo, Indígena e Quilombola, Valquíria Santos Silva; e a subsecretária de Educação Básica e Profissional, Andrea Guzzo.

A abertura da Escola Estadual Indígena é importante para a garantia dos direitos de um ensino de qualidade e da equidade no ambiente escolar para os estudantes indígenas. Até então, os alunos indígenas eram atendidos apenas com o Ensino Fundamental. A Escola Aldeia Caieiras Velha foi criada pela Portaria n° 155-R, de 30 de setembro de 2014, e inaugurada no dia 30 de dezembro do mesmo ano. Contudo, a escola não foi aberta de fato.

O secretário Vitor enfatizou a alegria de abrir o ano letivo nesta escola. A unidade de ensino oferece o Ensino Médio Regular e atende aos alunos aldeados, majoritariamente da Aldeia Caieiras Velha, a maior do Estado, com aproximadamente 500 famílias. Na região predominam as etnias tupiniquins e guaranis. A expectativa é de que até o segundo semestre seja implementada a Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Conforme prevê a legislação, será aplicada uma organização curricular diferenciada, que priorize a cultura, os modos de viver, as tradições e os conhecimentos desses povos em constante diálogo com os conteúdos previstos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

PUBLICIDADE