Praça de Aracruz ganha novo busto em homenagem ao Monsenhor Guilherme Schmitz

O busto substitui o que foi roubado em 2017 e foi elaborado seguindo as principais características físicas, após estudo com a igreja, e esculpido em material que não tem valor para a venda

0
145
O padre Antônio Luiz Pazolini Pandolfi destacou que o monumento desperta muitos sentimentos na população aracruzense

Marcando as comemorações do padroeiro da cidade, São João Batista, a Prefeitura de Aracruz inaugura hoje 23, às 20h30, na praça que leva o nome do religioso, em frente à Igreja Matriz, um novo monumento, de autoria do escultor serrano Nilson Camizão, em homenagem ao Monsenhor Guilherme Schmitz. O busto substitui o que foi roubado em 2017 e foi elaborado seguindo as principais características físicas, após estudo com a igreja, e esculpido em material que não tem valor para a venda.

O padre Antônio Luiz Pazolini Pandolfi destacou que o monumento desperta muitos sentimentos na população aracruzense: “A homenagem ao Monsenhor Guilherme Schimitz tem todo um significado e não só para a nossa igreja, mas para todo o município. Ele foi uma figura histórica em nossa cidade, onde muita gente o conheceu”, disse.

O prefeito Dr. Coutinho ressaltou que “é uma justa homenagem a este grande homem, que participou de diversos movimentos de Aracruz. Fui aluno do Monsenhor e guardo histórias que levarei comigo para sempre, principalmente os ensinamentos. O novo monumento tem as características do Monsenhor e possibilita que os aracruzenses eternizem em registros fotográficos e vídeos. Precisamos resgatar a história dessas pessoas que foram importantes na construção da cidade e que deixaram legados de bondade para todos. Dessa forma, imortalizamos o Monsenhor Guilherme Schmitz, uma figura emblemática”.

A história do Monsenhor
Visionário, o religioso deixou um dos maiores legados que Aracruz já conheceu em 28 anos de intensos serviços prestados à população. Guilherme nasceu no dia três de junho de 1906, em Hollen, província do Rheno, na Alemanha, onde viveu por 25 anos. Em abril de 1931 desembarcou no Brasil, mudando para o Espírito Santo em 1934. Fixou residência em Aracruz em fevereiro de 1955, onde atuou como professor de ensino religioso e outras disciplinas. De 1963 a 1980, ele foi o fundador e primeiro presidente da Fundação São João Batista, vindo a falecer no dia dois de janeiro de 1983, aos 76 anos.

O busto roubado
Monsenhor Guilherme Schmitz ganhou um busto de bronze como homenagem póstuma. A iniciativa foi da ex-primeira-dama e ex-vereadora Maridéia Rosa Bitti, que em junho de 1984, ao lado do saudoso ex-prefeito Primo Bitti, inaugurou a obra da escultora Elizabeth Pratta na principal praça de Aracruz. Visionário, Monsenhor Guilherme Schmitz deixou um dos maiores legados que Aracruz já conheceu em 28 anos de intensos serviços prestados à população, com destaque para a saúde, a educação e o social. Em meados de 2017, o busto, que era de bronze, foi roubado e desde então a população cobrava a reposição.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui