Porto da Imetame consolida Aracruz como o maior polo naval do Estado

O Porto Imetame Logística é classificado como um porto de cargas gerais e multipropósito, que pode movimentar grãos, rochas, petróleo e cargas em geral

0
405
Maquete do Porto da Imetame, que está sendo construido ao lado do Estaleiro Jurong

Além do Portocel, Terminal Aquaviário da Transpetro, Porto de Barcaças da Norsul, Porto de Barra do Riacho e o Estaleiro Jurong, o município de Aracruz se consolida como o maior polo naval do Espírito Santo, fortalecido pelo futuro Porto da Imetame, já em obras e que colocará o Estado na rota dos supernavios globais, com calado de 17 metros de profundidade, maior que o do Porto de Vitória, com 13,5 metros.

Durante o pico das obras do porto estão previstas a geração de 650 empregos diretos e mais 300 indiretos. Para a etapa de operação, quando o porto entrar em atividade com a sua capacidade máxima, estão estimadas 640 oportunidades diretas e outras 1.000 indiretas.

O Porto Imetame Logística é classificado como um porto de cargas gerais e multipropósito, que pode movimentar grãos, rochas, petróleo e cargas em geral. O porto se destaca pelo calado, que é o terceiro maior do País, chegando a 17 metros de profundidade. Essa grande profundidade permite receber supernavios, aumentando a competitividade do Espírito Santo em nível nacional.

Segundo o presidente do Grupo Imetame, Ettore Cavalieri, o Porto Imetame poderá atracar navios de contêineres que nenhum outro porto do país recebe. Outro potencial do porto é a forte sinergia com o Estaleiro Jurong, aumentando a possibilidade de prestação de serviços de manutenção aos armadores (operadores de navios). Os empreendimentos – Imetame e Estaleiro Jurong – operarão em grande harmonia, onde um promoverá oportunidades para o outro.

A única pendência para o início da obra bilionária que vai elevar enormemente a competitividade do Espírito Santo é apenas a autorização da secretaria de Patrimônio da União (SPU), que se dá com a assinatura do contrato de cessão. As licenças ambientais do Iema, órgão estadual de meio ambiente, já foram concedidas em 2018.

Há forte expectativa do mercado de que as obras desse empreendimento sejam iniciadas no próximo mês, quando é esperada a visita do presidente Jair Bolsonaro ao Espírito Santo, que vem motivado pela agenda da infraestrutura. O superintendente da SPU/ES, Márcio Furtado, garantiu que existe um esforço direcionado para que as obras se iniciem dentro do prazo esperado.

Imetame e Jurong atuam em sintonia no complexo portuário de Aracruz

Na retomada da economia estadual e nacional, uma das grandes apostas da Findes é o novo porto da Imetame, em Aracruz, um investimento de R$ 1 bilhão. Com calado de 19 metros, o porto poderá ter operação totalmente automatizada e estará preparado para atender a próxima geração de navios conteineiros, o chamado New Post Panamax (com capacidade de carga de 10.001 até 14.500 contêineres), e também Capesize (navio graneleiro com capacidade para até 175 mil toneladas de grãos).

A Imetame Logística Porto já possui praticamente todas as autorizações para o início efetivo das obras marítimas e aguarda somente a assinatura do contrato de cessão com a secretaria de Patrimônio da União (SPU), que se encontra em trâmites finais. “Com esse empreendimento, veremos a formação de um grande complexo portuário em Aracruz, considerando inclusive a privatização da Codesa, que possui uma importante área no Porto de Barra do Riacho, para a instalação de mais um terminal portuário com grande potencial de desenvolvimento de uma plataforma logística. Há uma grande sinergia entre as empresas da região, especialmente Imetame e Jurong, que atuam de forma complementar na fomentação de negócios na área de atuação de cada uma. Isso facilita a atração de novas empresas, a geração de empregos, e o desenvolvimento do Espírito Santo”, afirma Cris Samorini, presidente da Findes.

O diretor de Defesa de Interesses da Findes, Luis Claudio Montenegro, destaca também o potencial de implantação de uma ZPE (Zona de Processamento de Exportação) na região, atraindo indústrias com alto potencial de exportação. O Porto da Imetame, junto a outros empreendimentos da área portuária, é considerado estratégico para o escoamento da produção de grãos e outras cargas oriundas das regiões de influência do chamado Arco Leste, como é chamado o conjunto da infraestrutura do Espírito Santo, que pode escoar cargas de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso.

Aracruz coloca o Espírito Santo em novo patamar de competitividade portuária

Em sua coluna no jornal A Gazeta, a jornalista Beatriz Seixas faz uma análise sobre a importância de Aracruz na solução dos gargalos de infraestrutura nas atividades portuárias do Estado, após a entrada em operação do Porto da Imetame.

O município conta com uma variada atividade portuária. O Portocel, da Suzano e Cenibra, é especializado no embarque de celulose, produtos florestais e outras cargas, sendo um dos mais eficientes do mundo. O Estaleiro Jurong, do grupo asiático Sembcorp Marine, de Singapura, é um dos mais modernos em operação no mundo, construindo embarcações como o navio-plataforma P-68, que opera na área do pré-sal na Bacia de Santos, em São Paulo.

Ao lado do Portocel está o Terminal Aquaviário de Barra do Riacho (TABR), da Transpetro, que recebe o GLP (gás de cozinha) e a gasolina natural (C5+) da Unidade de Tratamento de Gás de Cacimbas (UTCG), em Linhares, e dali, os produtos são transportados por navios e carretas.

A Codesa possui, também ao lado, a área do Porto de Barra do Riacho, que deve ser implantado após a desestatização da empresa, atraindo para a região os grandes players do mercado (grandes investidores institucionais e megacorporações). Também se arrasta há alguns anos a possibilidade de Aracruz sediar uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE).

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui