Novena do padroeiro de Aracruz vai até o dia 23

A novena antecede o dia de São João Batista, 24 de junho, quando é feriado em Aracruz

0
63
Celebração do 3° dia da novena. Foto: Divulgação/Paróquia São João Batista

Será encerrada na terça-feira 23 a tradicional novena em honra ao padroeiro de Aracruz e da Paróquia local, São João Batista. A novena começou no dia 15 e devido à pandemia do novo coronavírus, as missas estão sendo realizadas de forma online, sempre às 19h, com transmissão ao vivo pelo Facebook e YouTube, direto da Igreja Matriz.

O padre Antonio Luiz Pazolini Pandolfi pede aos fiéis que preparem em suas casas um espaço para oração em família. Ele recomenda o uso de uma Bíblia, uma vela, uma planta e, caso tenha, a imagem de São João Batista. A novena antecede o dia do padroeiro, 24 de junho, quando é feriado em Aracruz. Neste dia haverá missa solene às 15h. Os links dos canais de transmissão são: www.facebook.com/sjb.paroquia ou www.youtube.com/paroquiasaojoaobatistaaracruz.

Durante os festejos os fiéis também poderão fazer uma foto da família reunida e publicar nas redes sociais com a hashtag #paroquiasjbatista. As fotos serão veiculadas durante as transmissões das missas. Ainda no período festivo, pela manhã ou à tarde, a secretaria paroquial recebe doações de alimentos não perecíveis em prol de famílias necessitadas.

O padroeiro
De acordo com o site da comunidade católica Canção Nova, São João Batista nasceu seis meses antes de Jesus Cristo, seu primo, e foi um anjo que revelou seu nome ao seu pai, Zacarias, que há muitos anos rezava com sua esposa para terem um filho. Estudiosos mostram que possivelmente depois de idade adequada, João teria participado da vida monástica de uma comunidade rigorista, na qual, à beira do rio Jordão ou Mar Morto, vivia em profunda penitência e oração. O que o tornou tão importante para a história do Cristianismo é que, além de ser o último profeta a anunciar o Messias, foi ele quem preparou o caminho do Senhor com pregações conclamando os fiéis à mudança de vida e ao batismo de penitência (por isso “Batista”). O grande santo morreu na santidade e reconhecido pelo próprio Cristo: “Em verdade eu vos digo, dentre os que nasceram de mulher, não surgiu ninguém maior que João, o Batista” (Mateus 11,11).

PUBLICIDADE