Navio de bandeira chinesa já deixou o Terminal Especializado de Barra do Riacho

A atracação do navio só ocorreu após a liberação das autoridades portuárias e da Anvisa, que emitiu o documento “livre prática”, liberando a embarcação

0
298
O navio Zhong Yuan Hai Yun Jin Qu. Foto: Divulgação

O navio Zhong Yuan Hai Yun Jin Qu, de bandeira chinesa, atracou no Terminal Especializado de Barra do Riacho, em Aracruz, na manhã do último sábado 1, e desatracou na noite de domingo 2, após carregar 12 mil toneladas de celulose. A informação é da Portocel, que esclareceu que a atracação do navio só ocorreu após a liberação das autoridades portuárias e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que emitiu o documento “livre prática”, liberando a embarcação.

Também de acordo com Portocel, antes de chegar ao Terminal Especializado de Barra do Riacho, o navio chinês já havia passado por outros portos brasileiros, inclusive no de Vitória, onde também foi liberado para atracar.

A previsão do navio de bandeira chinesa atracar em Barra do Riacho levou o prefeito de Aracruz, Jones Cavaglieri, a enviar uma correspondência em caráter de urgência ao Governo do Estado, Ministério da Saúde e a direção da Anvisa para que fossem adotadas medidas preventivas contra o novo coronavírus, , que surgiu na China no fim de 2019, e foi declarado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como emergência internacional diante de risco de disseminação.

Diante dos alertas sobre risco de infecção por coronavírus, a Portocel tem atuado para garantir a segurança e saúde de todos que atuam nas operações do terminal bem como da tripulação dos navios que lá atracam. A empresa tem acompanhando todas as notas técnicas e boletins informativos da OMS e Anvisa, além de mapear as rotas dos navios que atracarão no terminal e acompanhar as ações de fiscalização sanitária da Anvisa.

A Portocel ressaltou ainda que tem feito ações rotineiras de segurança, como o preenchimento do relatório de saúde pelos comandantes das embarcações provenientes de área de risco informando ao órgão de vigilância sanitária sobre a saúde dos passageiros e tripulantes até 72h antes de o navio chegar ao país. Além disso, a empresa repassa as orientações básicas de saúde aos funcionários, como lavar mãos, cobrir o nariz ao tossir e espirrar, evitar aglomerações, não compartilhar objetos de uso pessoal e se apresentar sintomas, procurar o serviço de saúde mais próximo.

PUBLICIDADE