Não dê um pet de presente neste Natal: planeje para ter um!

Na corrida pela escolha dos presentes de Natal, não é raro que um gato ou cão se torne uma opção irresistível. O importante é sempre lembrar que eles não são brinquedos

0
7
Foto Ilustrativa: Divulgação

Muitas pessoas ao redor do mundo ganham um novo gato ou cão durante as festas de final de ano. A intenção de quem presenteia é sempre a melhor, afinal ser tutor de um animal de estimação pode ser uma das experiências mais surpreendentes da vida. E é gratificante para os animais também, uma vez que dezenas de milhares que estão abandonados têm a chance de encontrar um lar para sempre. No entanto, presentear com um pet é mais do que um momento de alegria, trata-se de um compromisso de longa data, por toda uma vida.

Seria ótimo se gatos e cães viessem com manual de instruções, mas a verdade é que eles não vêm. Em alguns casos, o pet pode ter sido escolhido sem que todos da família tenham feito parte da decisão. Na verdade, muitas vezes, uma das pessoas mais importantes não faz parte da conversa. Quem? Um médico-veterinário. Uma voz confiável e neutra que pode fazer perguntas difíceis e orientar a decisão de se ter ou não um animal de estimação.

O novo pet será parte da família por anos e, por isso, é importante dedicar tempo de qualidade para pesquisar sobre o perfil ideal, bem como organizar sua chegada e integração ao novo lar. Confira 7 pontos essenciais, mapeados pela ROYAL CANIN®, a serem considerados antes de presentear alguém com um pet neste Natal:

Qual perfil de pet é o mais recomendado?
Cada gato e cão é diferente. Seu tamanho, idade, níveis de energia e temperamentos podem afetar a dinâmica familiar. Consultar um médico-veterinário é um recurso-chave para a busca por informações confiáveis. Eles podem, até mesmo, recomendar criadores, ONGs e abrigos de animais abandonados que adotem diretrizes de bem-estar responsáveis.

Você tem condições financeiras para assumir as despesas?
Ter um pet em sua família pode não ser tão barato, mas pergunte a qualquer tutor e ele lhe dirá que vale cada centavo. Lembre-se que o orçamento dedicado precisa atender as emergências médicas e despesas de rotina como, por exemplo, alimentos, brinquedos, vacinações, visitas ao médico-veterinário e higiene/cuidados necessários.

Você já decidiu quem vai cuidar do seu animal de estimação?
Escolha um médico-veterinário antes do seu pet chegar e pesquise por potenciais pet sitters e dog walkers (se necessário) para conhecer seu pet antes de contratá-los.

Existem condições especiais de saúde ou necessidades alimentares que o seu futuro animal de estimação pode ter?
Saiba o que seu novo pet precisa para estar saudável e feliz em casa com você.

A agenda da sua família é agitada?
A guarda responsável também inclui o planejamento de cuidados do tutor. Todos podem ajudar a cuidar do pet – alimentação, exercícios, adestramento e brincadeiras – ou a responsabilidade estará só com você?

Você pesquisou por locais de adestramento para ajudar no aprendizado do seu pet?
Animais de estimação precisam de amor e atenção, mas eles também precisam aprender. Ensinar seu cão requer paciência, dedicação e persistência – e também tempo e dinheiro.

Sua casa está preparada para receber o pet?
Algumas raças precisam de mais estímulo mental e espaço e algumas são mais adequadas para ambientes pequenos. O espaço físico do seu animal de estimação é importante.

PUBLICIDADE