Nada muda! Tráfego pago na BR-101 tem pequeno aumento de junho para julho

Entra mês e sai mês e o volume diário no período é de 48 veículos pagantes por minuto, totalizando todas as praças

0
8
Foto: Divulgação

A divulgação mensal de tráfego da Concessionária Eco101 mostra que, em julho, o volume de tráfego consolidado nas sete praças de pedágio na rodovia BR-101 alcançou 2.241.528 veículos pagantes, números que permanecem iguais, com pouca diferença, desde o início da cobrança tarifária, em maio de 2014, há sete anos e dois meses. Entra mês e sai mês e o volume diário no período é de 48 veículos pagantes por minuto, totalizando todas as praças.

Trecho com alto índice de acidentes com mortes, o trajeto entre Linhares e Itapemirim continua sem duplicação há sete anos e dois meses de cobrança tarifária e descumprimento, pela Concessionária, do item 3.3.1 do contrato de concessão assinado em 2013 com a ANTT, que prevê a duplicação imediata de trechos que atinjam o Volume Diário Médio Anual (VDMA) dos valores constantes na tabela 3.1, o chamado ‘gatilho’, pelo qual este trecho da rodovia já deveria estar todo duplicado desde 2019.

Com pouco mais de 500 mil veículos pagando pedágio por mês na praça de Serra, 400 mil na de Itapemirim, 380 mil na de Guarapari e 300 mil na de Aracruz, correspondendo a mais de 10 mil por dia, a Concessionária ECO101 continua se apegando à não liberação, pelo Ibama, do licenciamento ambiental para as obras no Trecho Norte.

Como a FOLHA DO LITORAL é o único jornal que divulga mês a mês as tabelas de estatísticas do tráfego pago nas sete praças de pedágio da rodovia BR-101, os dados divulgados no site da Concessionária Eco101 pouco mudam. Em maio último foram 2.040.270 veículos pagantes, em junho 2.058.424 e em julho 2.241.528. Os números estão sempre sendo considerados “estranhos” pelos deputados estaduais participantes da Comissão de Fiscalização da duplicação da rodovia, na Assembleia. O deputado Alexandre Xambinho revelou que o volume de tráfego não bate com o que se vê na rodovia, sempre engarrafada no trecho de Fundão a Serra. Pelos “estranhos” dados, somente nas praças de Serra, Guarapari e Itapemirim que mais de dez mil veículos pagam o pedágio, por mês.

De 18 de maio de 2014, quando a tarifa começou a ser cobrada, até julho último, se passaram sete anos e dois meses de cobrança, e nunca o volume de tráfego pago ultrapassou 73 mil carros por dia, na média, nas sete praças. No período, somente 1,8 km de pista foi duplicado em Anchieta, 2,2 km em João Neiva, 4,5 km em Ibiraçu, 7,8 km em Iconha (contorno) e 42 km de Viana a Guarapari. Neste período, a Eco101 manteve uma média anual de receita em torno de R$ 180 milhões, de acordo com o balanço divulgado em seu site, e duplicou somente 58,3 (12,2%) dos 475,9 quilômetros entre o trevo de acesso a Mucuri, no Sul da Bahia, e a divisa do Espírito Santo com o Rio de Janeiro.

TRÁFEGO PAGO POR PRAÇA – JULHO 2021
Pedro Canário – 138.517 (4.468/dia)
São Mateus – 232.544 (7.501/dia)
Aracruz – 303.905 (9.803/dia)
Serra – 533.419 (17.207/dia)
Guarapari – 381.501 (12.307/dia)
Itapemirim – 409.723 (13.217/dia)
Mimoso do Sul – 241.919 (7.804/dia)

2.689 dias de cobrança (18/05/2014 a 31/07/2021)
2014 (18/05 a 31/12 – 227 dias): 16.684.170 – 7.350/dia
2015 (365 dias): 25.960.951 veículos – 71.126/dia
2016 (366 dias): 24.301.869 veículos – 66.399/dia
2017 (365 dias): 24.527.340 veículos – 67.198/dia
2018 (365 dias): 25.101.761 veículos – 68.772/dia
2019 (365 dias): 25.891.744 veículos – 70.936/dia
2020 (365 dias): 25.153.169 veículos – 68.913/dia
2021 (212 dias): 12.662.293 veículos – 59.728/dia

Total em 2.689 dias: 182.300.262 veículos
67.795 veículos por dia
2.825 veículos por hora
48 veículos por minuto

PUBLICIDADE