Motos barulhentas seguem tirando o sossego de lojistas e moradores em Aracruz

A conduta é identificada pelo Código de Trânsito Brasileiro como uma infração de natureza grave

0
63
A Seção de Trânsito do 5° Batalhão da Polícia Militar informou que segue promovendo operações de fiscalização para coibir irregularidades. Foto: Divulgação/PMES

O barulho ensurdecedor provocado por motos com descarga aberta segue incomodando lojistas e moradores de Aracruz, principalmente à noite. A conduta é identificada pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) como uma infração de natureza grave, que sujeita o infrator à pena de multa no valor de R$ 195,23 e cinco pontos na Carteira de Habilitação, com a consequente retenção do veículo para regularização. Isso, contudo, não tem impedido a circulação das motos barulhentas.

Com a ascensão dos serviços de delivery, feitos na maioria por motoboys, o problema dos ruídos excessivos e incômodos emitidos pelas motos irregulares aumentou. Tanto que a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Aracruz chegou a fazer uma campanha pedindo que as empresas locais não contratassem donos de motos barulhentas para realizar as entregas em domicílio.

Diversos comerciantes já relataram à FOLHA DO LITORAL seu aborrecimento com as motos barulhentas. José Maria De Carli é um dos insatisfeitos. Seja no seu comércio, na avenida Venâncio Flores, ou em sua casa, na rua Professor Lobo, ele disse não ter sossego. O barulho emitido por esses veículos irregulares também é insuportável na avaliação de Bernadete Scardua. Ela relatou que quem reside na avenida Venâncio Flores, inclusive seu pai, precisa conviver com o problema até tarde da noite. Eliana Vancini pediu que motoboys, mototaxistas e outros respeitem os moradores e comerciantes de Aracruz e não fiquem acelerando suas motos com descarga aberta, incomodando os mesmos, desnecessariamente.

Empresário pede que comerciantes não contratem motoboys com motos irregulares

O empresário Aderjânio Pedroni faz um apelo aos comerciantes que usam o sistema delivery para que não contratem motoboys que usam motos com descarga aberta. Ele afirma que “são várias as reclamações de lojistas frente ao barulho provocado pelas motos com descarga aberta. Isso tem gerado transtorno tanto de dia quanto à noite, sobretudo no Centro da cidade. É difícil para atender os clientes e até mesmo para atender ou realizar uma ligação telefônica. Está difícil até para dormir, pois nem nas nossas residências temos tido sossego, tamanho é o barulho. A Polícia Militar tem feito o seu trabalho, mas precisamos que ele seja intensificado”.

E acrescenta: “o que nos desaponta é o absurdo de haver motoboys usando descarga
aberta em suas motos, desmerecendo a categoria que ultimamente vem cumprindo um papel imprescindível. Então, é preciso reforçar que os comerciantes não contratem motoboys com motos nessas condições irregulares. E o cliente que notar uma moto barulhenta na hora da entrega deve desistir da compra, pois esse condutor irresponsável precisa compreender o mal que está fazendo. Quem comete esse desrespeito precisa lembrar que o seu direito termina onde começa o do outro. Precisamos que a Prefeitura de Aracruz e o Ministério Público Estadual também combatam isso, criando meios eficazes de identificar e até mesmo indicar esses motoqueiros irresponsáveis, verdadeiros meliantes que insistem em importunar o cidadão de bem”.

O que diz a Polícia Militar

A Seção de Trânsito do 5° Batalhão da Polícia Militar (BPM) informou que segue promovendo operações de fiscalização para coibir irregularidades. Inclusive, as blitzes foram intensificadas com a campanha Maio Amarelo, que tem como tema, neste ano, “Respeito e Responsabilidade. Pratique no Trânsito”. São atitudes que têm faltado, por exemplo, a quem, sem pensar no outro, insiste em modificar intencionalmente a descarga da motocicleta, produzindo barulho mais intenso. Vale lembrar que pelo CTB, todos os veículos devem ter suas características originais.

“Sem respeito às normas e autorresponsabilidade, não podemos esperar um resultado que seja a contento. Por isso, precisamos do envolvimento dos demais órgãos, empresas e da comunidade. Desta forma, teremos um trânsito mais seguro e pacífico para todos”, ressaltou o tenente Adilton Rangel, chefe da Seção de Trânsito do 5° BPM.

PUBLICIDADE