Moradores de Santa Cruz reclamam de campo público cercado com arame farpado

A área não é particular e foi remodelada pela prefeitura

0
62
Assim que tomou conhecimento, o secretário municipal de Esporte, Emerson de Oliveira, mandou retirar o arame farpado do campo. Foto: Reprodução

Os moradores de Santa Cruz, em Aracruz, usaram as redes sociais para reclamar que o campo de futebol de uso da comunidade, conhecido há décadas por campo do Santa Cruz, foi cercado com arame farpado, inclusive as traves, e os portões fechados com cadeados, impedindo que as crianças brinquem e joguem futebol no local. A área não é particular e foi remodelada pela prefeitura.

As reclamações começaram após a postagem de Laura Sabino, de que “encheram de arame farpado o campo do Santa Cruz para ninguém usar, e como as crianças brincam de futebol ali, fizeram essa maldade. O campo, segundo a população, é da comunidade, mas infelizmente algumas pessoas aqui de Santa Cruz enchem a boca para falar que é propriedade particular, como se a verba que veio para a reforma fosse do bolso deles. Esperamos uma atitude das autoridades para fazer a retirada desses arames, porque se alguém se machucar e se as crianças entrarem lá para jogar futebol e saírem feridas, aí seremos nós, moradores, que iremos dar um jeito nessa situação”.

O secretário municipal de Esporte, Lazer e Juventude de Aracruz, Emerson Nascimento de Oliveira, informou à FOLHA DO LITORAL que o uso de espaços públicos de lazer e entretenimento está proibido pelo Decreto Municipal n.º 38.201, de 10 de julho, para enfrentamento da situação de emergência decorrente da covid-19. Com as medidas restritivas, as atividades esportivas estão suspensas. Segundo o secretário, a equipe do Santa Cruz Esporte Clube, responsável por cuidar do campo, plantou grama debaixo das traves e colocou o arame farpado para evitar o uso do equipamento. Para impedir que alguém se machuque, o secretário informou sobre a situação ao coordenador de apoio local que, imediatamente, providenciou a retirada do arame farpado, e ressalta que os espaços não devem ser usados neste período de pandemia para evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

A postagem de Laura Sabino gerou muitos comentários no Facebook. Thiago José Conceição disse que “precisamos, enquanto comunidade, investigar de onde veio a autorização pra que isso fosse feito e quem foi o responsável. A nossa comunidade tem uma diretoria, e como faço parte dele, nada nos foi passado quanto ao referido. Nós vamos, sim, procurar o responsável por esse ato e caso não seja legal o fato exposto, tomaremos providências”.

O ex-presidente da Comunidade de Nova Santa Cruz e Cruzeiro, Fabiano Barros da Silva foi contundente, afirmando que existe no Ministério Público uma denúncia protocolada por ele em 2016, denunciando essas mazelas relacionadas ao campo do Santa Cruz, e segundo ele, inclusive, existe documento do próprio órgão afirmando que a área é pública. “É triste saber que pessoas da própria comunidade sabem da situação, usufruem do campo e na hora de falar sobre o assunto, se calam”, diz.

Segundo Fabiano, a Associação de Moradores está a um ano sem representatividade, e ninguém pode falar em nome dela, por estar com mandato vencido. “Independente de quem quer que seja a responsabilidade de fazer uma maldade desta, de mandar colocar farpado no local, considerando ser proibido o uso desse artefato”, desabafa.

PUBLICIDADE