Antecipada pelo Ministério da Saúde, campanha de vacinação contra a gripe terá início em 23 de março

Serão distribuídas 75 milhões de doses, o maior volume já registrado no país. Inicialmente serão vacinadas crianças e gestantes. Em seguida, os idosos

0
66
Foto: Divulgação

Após a confirmação do primeiro caso de Covid-19 no Brasil, o Ministério da Saúde antecipou para 23 de março o início da campanha de vacinação contra a gripe, incialmente programada para começar no dia 13 de abril. Embora a gripe seja causada por um vírus diferente (influenza), o objetivo da antecipação é evitar aumento de doenças respiratórias e sobrecarga do sistema de saúde.

De acordo com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, mesmo que a vacina não apresente eficácia contra o coronavírus, é uma forma de auxiliar os profissionais de saúde a descartarem as influenzas na triagem e acelerarem o diagnóstico para o Covid-19.

Serão disponibilizadas 75 milhões de vacinas pelo Instituto Butantan, uma produção recorde, segundo as autoridades de saúde. Inicialmente serão vacinadas crianças e gestantes. Em seguida, os idosos.

Casos de coronavírus
O Brasil já conta com um caso confirmado de coronavírus e, até esta sexta-feira 28, monitora outros 132 casos suspeitos da doença em 16 estados, entre eles o Espírito Santo, que investiga um caso em Aracruz. Os dados demonstram o aumento da sensibilidade da vigilância da rede pública de saúde devido à inclusão de 15 países, além da China, que apresentam transmissão ativa do coronavírus.

Com esta mudança, os critérios para a definição de caso suspeito enquadram agora, as pessoas que apresentarem febre e mais um sintoma gripal, como tosse ou falta de ar e tiveram passagem pela Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Itália, Malásia, Japão, Singapura, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Tailândia, Vietnã e Camboja, além da China, nos últimos 14 dias.

PUBLICIDADE