Marinha e Jurong assinam contrato para a construção do navio de apoio antártico em Aracruz

0
75
O evento contou com as presenças do presidente do EJA, Thangavelu Guhan; do prefeito de Aracruz, Dr. Luiz Carlos Coutinho; e do Chairman do EJA e diretor financeiro do Grupo Sembcorp Marine, Mr. William Goh Khor Boon. Foto: Divulgação/PMA

Foi assinado na segunda-feira 13, no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, o contrato que autoriza a construção do Navio de Apoio Antártico (NApAnt) no Estaleiro Jurong Aracruz (EJA). Encomendada para o Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR), a embarcação, com propulsão diesel-elétrica, será construída ao longo de três anos, tendo dimensões de 93,9 metros de comprimento, 18,5 metros de largura, calado de seis metros e autonomia para 70 dias. A previsão é de geração de 500 a 600 empregos diretos e seis mil indiretos, além de fomentar a indústria naval brasileira e a base tecnológica nacional.

O evento contou com as presenças do ministro da Ciência e Tecnologia, Paulo Alvim; do comandante da Marinha, o almirante de esquadra Almir Garnier Santos; do presidente do EJA, Thangavelu Guhan; do Chairman e diretor financeiro do Grupo Sembcorp Marine, Mr. William Goh Khor Boon; do prefeito de Aracruz, Dr. Luiz Carlos Coutinho; e do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, José Eduardo Faria de Azevedo.

De acordo com a Marinha do Brasil, o novo navio substituirá e desenvolverá as mesmas missões que o Navio de Apoio Oceanográfico “Ary Rongel”, mas com capacidades aprimoradas em função da experiência no PROANTAR e dos requisitos de apoio à nova Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF). “Para manter o status de membro consultivo do Tratado da Antártica é necessário que o Brasil esteja presente e realize pesquisas científicas substanciais na região, fato que o novo navio ajudará a incrementar”, afirmou o diretor-geral de Material da Marinha, Almirante de Esquadra José Augusto Vieira da Cunha de Menezes.

Navio de Apoio Antártico (NApAnt) será construído em Aracruz. Foto: Divulgação/Marinha do Brasil

O documento foi assinado entre a Empresa Gerencial de Projetos Navais (EMGEPRON) e a Polar 1 Construção Naval SPE – Sociedade de Propósito Específico constituída pelo Estaleiro Jurong Aracruz e a SembCorp Marine Specialised Shipbuilding (SMSS) PTE. O propósito é a construção de uma embarcação com capacidade para navegar em campos de gelo. Para isso, necessita possuir casco em formato específico e reforçado, particularmente na sua proa, para abrir caminho e quebrar as placas de gelo utilizando o próprio peso do navio e, por vezes, o turbilhonamento provocado por seus propulsores.

Para a construção do NApAnt, foram capitalizados pela EMGEPRON aproximadamente R$ 740 milhões. O investimento envolve a compra de equipamentos e sistemas científicos, planos de gestão do ciclo de vida e apoio logístico ao Programa Antártico Brasileiro. O escopo de engenharia, aquisição e construção será conduzido pelo EJA, com a transferência de conhecimento e experiência da SMSS na construção de embarcação semelhante, em Singapura.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui