Inovação e tecnologia potencializam ações ambientais da Suzano

Em comemoração ao Dia de Proteção às Florestas, celebrado no último dia 17, a empresa faz um balanço das ações

0
21
Foto: Divulgação/Suzano

A Suzano plantou 12 milhões de mudas nativas nos últimos dez anos nas regiões em que atua. O compromisso é firmado continuamente por meio do Programa de Restauração Ecológica, que emprega técnicas como o plantio de mudas de espécies nativas, condução da regeneração natural e controle de espécies exóticas e invasoras.

Em comemoração ao Dia de Proteção às Florestas, celebrado no último dia 17, a empresa faz um balanço das ações. São mais de 32 mil hectares em restauração nos biomas Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica. Destes, o Espírito Santo detém uma área de 7,2 mil hectares.

“São inúmeros os serviços ecossistêmicos gerados pela restauração, como o controle de erosão, combate à proliferação de pragas e doenças, a regulação e disponibilidade dos recursos hídricos, e a conservação da biodiversidade. A restauração ainda movimenta uma cadeia produtiva que engloba a produção de mudas de nativas, o plantio, a manutenção e o monitoramento das áreas”, explica Tathiane Sarcinelli, analista de Meio Ambiente Florestal da Suzano.

No âmbito da preservação, a empresa destaca a relevância das Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs), cujo objetivo é promover a conservação da diversidade biológica, a proteção de recursos hídricos, desenvolvimento de pesquisas cientificas, manutenção do equilíbrio climático e ecológico, dentre outros. Das sete RPPNs da Suzano, três estão localizadas nos municípios de Aracruz e Linhares, onde atuam como núcleos de dispersão de fauna e flora, contribuindo para a manutenção e/ou ampliação de corredores de biodiversidade regional.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui