Hospital São Camilo: 54 anos de filantropia em Aracruz

Além de estrutural, a transformação pela qual vem passando o Hospital Maternidade São Camilo é humana

0
92
Foto: Divulgação/FHMSC

Amor à humanidade. Esta é a definição dos dicionários Aurélio e Michaelis para filantropia, palavra que move o Hospital Maternidade São Camilo desde a sua fundação, em 1967. Uma das maiores obras encabeçadas pelo saudoso Monsenhor Guilherme Schmitz em Aracruz, o único hospital da cidade chega aos 54 anos de existência enfrentando o que talvez seja seu maior desafio: a pandemia da covid-19.

Há mais de um ano lidando com os desafios da crise causada pelo coronavírus, os quase 500 colaboradores do hospital não poupam esforços para garantir a qualidade dos serviços prestados à população de Aracruz e Região, dia após dia, mantendo o legado da instituição: tomar consciência de uma necessidade do outro e sentir empatia por ela, reconhecendo a possibilidade de estar na mesma situação, despertando assim o ímpeto altruísta, característica maior da filantropia.

São momentos atípicos e difíceis. Mas também há motivos para celebrar. O Hospital Maternidade São Camilo está perto de entregar os primeiros resultados concretos do superpacote de obras anunciado em março de 2018. No segundo semestre deste ano, deve entrar em funcionamento o novo Pronto-Socorro, que – com maior organização e conforto – atenderá pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), além de particulares e de convênios. A obra está em fase de finalização.

Também deve ser entregue no segundo semestre deste ano o primeiro dos três pavimentos da Ala Dr. Sixto Nelson Quiñonez Diaz. Operários trabalham na fase de acabamento do andar que abrigará a maternidade, passando o atual espaço a comportar parte do novo Pronto-Socorro. O segundo pavimento também pode ser entregue ainda neste ano. Já o terceiro pavimento, que junto ao segundo abrigará novos leitos (SUS, de convênios de saúde e de atendimento particular), terá previsão de conclusão anunciada em meados de dezembro próximo.

Em destaque na foto, a construção do novo Pronto-Socorro e da ala Dr. Dr. Sixto Nelson Quiñonez Diaz

Além de estrutural, a transformação pela qual vem passando o Hospital Maternidade São Camilo é humana. Tendo o cuidar como vocação, a instituição filantrópica segue no caminho da evolução, continuamente buscando e ofertando novas condições tanto para os clientes/pacientes serem atendidos quanto para os profissionais atuarem.

Passado que inspira e orienta o futuro

Em meados de 1967, Aracruz se viu às voltas com um surto de tifo, cujas consequências poderiam ter sido arrasadoras, se não fosse a já existente mobilização das abnegadas pessoas, que foram o alicerce do hoje destacado Hospital Maternidade São Camilo. Daquele tempo para cá, ganhando espaço na vida e no coração dos aracruzenses, o São Camilo se consolidou como referência em urgência e emergência de média complexidade na região Polinorte.

Construção do Hospital São Camilo na década de 60. Foto: Divulgação/Associação Vidas

Dr. Sixto Nelson Quiñonez Diaz, cuja trajetória se confunde com a história do São Camilo, lembra que a generosa doação de recursos financeiros e equipamentos pela Misereor, uma organização religiosa da Alemanha, foi primordial para que o hospital viesse a ser inaugurado em abril de 1970. Braço direito de Monsenhor Guilherme Schmitz na saúde em Aracruz, o médico também recorda que arrecadações obtidas por meio da ativa mobilização da comunidade local em torno das nostálgicas feiras distritais também ajudaram a construir o São Camilo.

Na história recente, aquele esforço coletivo comunitário em prol do São Camilo foi reinventado em 2015, quando a Associação Vidas surgiu e passou a promover, entre outras ações, exposições agropecuárias, leilões e sorteios solidários, cujos resultados financeiros, em boa parte, vêm sendo investidos em obras de reforma, reestruturação e ampliação do hospital. Também são notórias as doações e captações que a área comercial do São Camilo vem fazendo com apoio da sociedade, especialmente neste período de pandemia.

Padre reconta a história do hospital

O padre Antonio Luiz Pazolini Pandolfi. Foto: Arquivo Pessoal

O padre Antonio Luiz Pazolini Pandolfi, pároco da Paróquia São João Batista, enfatiza que Monsenhor Guilherme Schmitz foi, e continua sendo para muita gente, daquelas raras pessoas que doam a vida pelas causas alheias. “Um dos principais feitos dele remonta à área de saúde, com a construção do Hospital Maternidade São Camilo, fundado em 17 de abril de 1967 e inaugurado em 12 de abril de 1970”, reforça o religioso, completando que “até então, Aracruz só possuía um posto de saúde ao lado da praça do Centro, onde não era possível fazer internações. Os doentes mais graves, acidentados, picados de cobra, eram levados para Vitória, geralmente em caminhões, e muitos eram acompanhados pelo padre Guilherme, que agilizava o atendimento graças a seu prestígio em várias repartições públicas”.

De acordo com padre Antonio, a bênção da pedra fundamental foi realizada por Dom João Batista da Motta e Albuquerque, no dia 25 de julho de 1967. A construção do hospital ocorreu de 1967 a 1970, em trabalho quase contínuo. Monsenhor fez o seguinte registro no livro de tombo da paróquia São João Batista: “Às vezes éramos obrigados a parar os trabalhos por falta de material: lajotas, cimento, cal, areia e ferro. Mas não desanimamos. Durante alguns dias faltaram os operários. Resolvemos, Dr. Leonildo Poltronieri, eu (Monsenhor), Landir Poltronieri Rosa, a pegar na colher de pedreiro, fazer massa, carregar lajotas. Construímos uma boa parte da frente. Depois os operários voltaram aos serviços”.

Monsenhor Guilherme Schmitz benze o Hospital São Camilo no dia da inauguração. Foto: Divulgação/Associação Vidas

Padre Antonio também reforça que Guilherme Schmitz conseguiu ajuda na Alemanha para construir e equipar o São Camilo por meio da Misereor – instituição católica voltada para o auxílio aos países subdesenvolvidos. De seu país de origem, Monsenhor também conseguiu equipamentos hospitalares como mesas cirúrgicas e obstétricas, de anestesia e foco de luz para a sala cirúrgica.

“O hospital chegou ao século 21 com muitas dificuldades financeiras e com problemas estruturais. Em 2015, a Associação Vidas, liderada por empresários locais, com o apoio de milhares de voluntários e de emendas parlamentares, resolveu encampar o projeto de revitalização, ampliação e modernização do São Camilo para torná-lo de média e alta complexidade e para atender um número cada vez maior de pacientes devido ao aumento da população”, pontuou o padre Antonio Luiz Pazolini Pandolfi.

Os serviços e a estrutura atual do São Camilo

Hoje, além de cirurgia geral 24h, cirurgia vascular e urológica e pronto-socorro 24h, o hospital oferece serviços de UCI (Unidade de Cuidados Intermediários) e UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), realiza exames de endoscopia e videolaparoscopia e ainda presta atendimentos em clínica-geral e em cinco especialidades (Cardiologia, Nefrologia, Obstetrícia, Ortopedia e Pediatria). Ao todo, são 140 leitos, sendo 111 direcionados ao Sistema Único de Saúde (SUS) e 29 destinados a convênios de saúde. Podendo variar devido ao cenário atípico da pandemia, o quadro de pessoal é composto por 443 colaboradores, sendo 85 médicos.

DEPOIMENTOS

“É sempre uma grande honra falar do Hospital Maternidade São Camilo, uma instituição que nasceu da comunhão da coletividade aracruzense. Muito me orgulha ter vindo para Aracruz a convite de Monsenhor Guilherme Schmitz, pois testemunhei essa linda história. Muitas vidas foram salvas desde o início das atividades do hospital, que com o passar dos anos cresceu e se difundiu pelo Estado. O São Camilo teve nome pela medicina preventiva que fez e pelo trabalho comunitário envolvido em sua construção. Hoje com ressonância magnética e tomografia, entre outras modernidades, o hospital vem se adequando aos novos tempos. E com o empenho de novos voluntários, sobretudo da Associação Vidas, ele vem se consolidando como um grande empreendimento de saúde. É um trabalho cansativo, muitas vezes exaustivo, tamanho são os problemas a serem solucionados. Mas, as dificuldades não têm sido motivo para o abandono deste trabalho. Muito pelo contrário, elas têm estimulado a atualização do nosso querido e futuro grande hospital, que manterá a filosofia de salvar vidas. Parabéns a todos que fizeram e fazem do São Camilo uma realidade, em especial os antigos e novos colegas de profissão. Que as novas gerações cresçam reconhecendo esse patrimônio de Aracruz”.
Dr. Sixto Nelson Quiñonez Diaz

“Nós, do Conselho Curador do Hospital, queremos homenagear todos os colaboradores, médicos e voluntários pela passagem dos 54 anos de dedicação a esta instituição. Estamos muito honrados de estar à frente da Fundação Hospital Maternidade São Camilo, em um momento tão especial nos cuidados de nossa população. Ao olharmos para trás, sentimos muito orgulho da trajetória desta instituição, que sempre esteve pautada em valores científicos, religiosos, éticos e morais. Temos certeza de que os objetivos traçados pelo fundador, Monsenhor Guilherme Schmitz, e inúmeros voluntários e entidades que compõem este Conselho, estão cada vez mais presentes em cada atendimento realizado. Nosso hospital é reconhecido pela dedicação dos colaboradores, pelo ambiente acolhedor e familiar, pela qualidade na prestação de serviços e, principalmente, pelo respeito e atendimento humanizado. Aqui, o amor ao próximo e o compromisso com a vida, que foram os principais legados dos nossos fundadores, atravessaram a barreira do tempo e passaram de geração em geração. Também olhamos para o futuro e nos sentimos confiantes de que a Fundação Hospital Maternidade São Camilo está preparada para os novos desafios, pois além de investirmos em infraestrutura e tecnologias, nossas equipes estão em constante aprimoramento. Aqui cabe nosso reconhecimento à Associação Vidas, que tem sido uma parceira nas obras de infraestrutura. Neste momento especial, queremos agradecer a Deus por ter abençoado este hospital e por ter ajudado nossos médicos e equipes a atender milhares de pacientes, levando a eles conforto, atenção e auxílio em sua recuperação. Agradecemos também todos aqueles que confiaram em nosso trabalho e aos colaboradores que compartilham conosco a missão de dedicar-se ao Servir e Valorizar a Vida”.
Aroldo Lopes Rampinelli, presidente do Conselho Curador do Hospital São Camilo

“O Hospital São Camilo é patrimônio de Aracruz e Região. Estamos aqui sempre para atender você e sua família”.
Dr. Eduardo Soares, superintendente do Hospital São Camilo

“A cada ano podemos perceber uma evolução do Hospital São Camilo, seja no atendimento humanizado, seja na evolução tecnológica. Podemos dizer que estamos no rumo certo, trabalhamos para tornar o São Camilo um hospital no padrão que o aracruzense merece”.
Wellington Lozer Giacomin, diretor executivo do São Camilo

“Que alegria poder fazer parte da equipe do Hospital Maternidade São Camilo e comemorar junto a essa instituição seus 54 anos de vida. Trabalhar no São Camilo é como fazer parte de uma grande família. O sentimento é amor e gratidão. Continuarei não medindo esforços para ver o crescimento e o reconhecimento do nosso hospital”.
Dra. Nina Mori Borges Pestana, médica do São Camilo

“Falar do Hospital São Camilo se resume em uma palavra: gratidão. Em um primeiro momento, gratidão pelas pessoas que o idealizaram. Hoje temos alguns desafios, mas imagina o quão difícil foi há 54 anos, quando o hospital foi fundado. Então, toda a honra e todo louvor a Deus pelas pessoas que fundaram e depois deram continuidade, com muito sacrifício, ao nosso querido São Camilo. Em um segundo momento, gratidão pela Associação Vidas, que oportunizou a mim e tantos outros de se envolver diretamente na recuperação e ampliação do hospital. Uma coisa muito bonita de se ver e de se trabalhar. Nessa caminhada, destaco a participação do saudoso pastor Geraldo Pinto de Oliveira, um grande companheiro que esteve desde o primeiro momento junto com a Associação Vidas, trabalhando em favor do hospital do qual ele já participava anteriormente. Ele foi uma pessoa muito querida, um líder sensato, dono de um coração maravilhoso. O pastor Geraldo Pinto de Oliveira merece todo o nosso reconhecimento e é justo o homenagearmos, colocando seu nome na nova UTI do Hospital São Camilo”.
Aderbauer Pedroni, conselheiro da Associação Vidas

“Acompanhando as várias fases da história de Aracruz, a gente percebe o quanto foi fundamental a decisão de um grupo de cidadãos aracruzenses, liderado por Monsenhor Guilherme Schmitz, em criar o Hospital Maternidade São Camilo, em 1967, numa época em que a cidade não tinha nenhuma estrutura hospitalar, exceto um mini hospital improvisado atrás da igreja Matriz. Entre 2015 e 2018 fui conselheiro do hospital e presenciei de perto os desafios que o São Camilo tem que superar a cada dia, uma vez que saúde é algo complexo e dispendioso. Destaque para a gestão do padre José Valdecy Romão como presidente do Conselho e pela iniciativa da Associação Vidas em congregar a sociedade para ampliar e modernizar o hospital, que continua, depois de 54 anos, único na cidade e cada dia mais importante na condução da saúde pública”.
Rogério Sarmenghi, ex-conselheiro do Hospital São Camilo

Conselheiros da Associação Vidas: Aderbauer Pedroni, Pr. Geraldo Pinto de Oliveira (in memoriam), Jesimar Manola, Luis Soares Cordeiro e Etore Cavallieri no anúncio do superpacote de obras de reforma e ampliação do Hospital Maternidade São Camilo, em março de 2018. Foto: Deivid Alexandre
PUBLICIDADE