Grêmio Esportivo Tigres de Aracruz completa 11 anos

Com o desejo de que seus mais habilidosos atletas brilhem nos grandes clubes do Brasil, a escola de futebol fechou parceria com a TR Agency Sports

0
254
O idealizador e técnico do Tigres, Raí de Sousa, entre Gustavo Brito e Pedro Henrique Peroni, respectivamente, capitães dos times sub-14 e sub-12. Foto: Jasleon Humberto

Uma das principais iniciativas voltadas ao futebol de base no Estado, o Grêmio Esportivo Tigres de Aracruz completa 11 anos neste domingo (21) com uma coleção significativa de títulos e a expectativa de ir ainda mais longe. Vontade de trabalhar para isso não falta. Que o diga Raimundo Nonato de Sousa, o Raí. “Mais do que seguir conquistando campeonatos, queremos nos consolidar como referência na revelação de jogadores”, conta o idealizador e técnico do Tigres.

O novo momento para qual caminha o Tigres vai ao encontro do sonho de meninos como Gustavo Brito, 13 anos, e Pedro Henrique Peroni, 11 anos. Respectivamente, capitães dos times sub-14 e sub-12, eles desejam se tornar profissionais e jogar em grandes clubes. “Tenho ex-alunos jogando nas categorias de base do América-MG e do São Paulo. E para que muitos outros tenham essa oportunidade, decidimos profissionalizar nossa atuação e a gestão”, diz Raí.

Ex-atletas do Tigres, Guilherme Reus e Kaylan Henrique jogam nas categorias de base do América-MG e do São Paulo, respectivamente. Fotos: Reprodução/Instagram

Com o desejo de que seus mais habilidosos atletas brilhem nos grandes clubes do Brasil, o Tigres fechou parceria com a TR Agency Sports. E os resultados já começaram a aparecer. “Recém-encaminhado ao Atlético-MG, Alison de Nardi é o primeiro atleta que deixa Aracruz por meio da nova fase do Tigres”, comemora Raí.

O agora jogador da base do Atlético-MG, Alison de Nardi, entre Thiago Rafael (agente esportivo) e Raí de Sousa. Foto: Divulgação/Tigres

Quem hoje vê o Tigres consideravelmente estruturado, não imagina o quão difícil foi o caminho percorrido até aqui. Antes de poder arrendar o Estádio Antônio Eugênio Bitti, o Bambu, a escola de futebol promovia seus treinos em espaços públicos, quase sempre sem apoio. O início, em um campinho de areia do bairro Planalto, só foi possível com o empréstimo de materiais esportivos. De lá pra cá, mesmo em meio a dificuldades diversas, o trabalho ganhou cada vez mais notoriedade, sendo reconhecido, sobretudo, pelos principais parceiros: os pais dos atletas.

Em 11 décadas de existência, o Grêmio Esportivo Tigres conquistou dezenas de títulos, entre os quais se destacam cinco da ‘Copa A Gazetinha’, a competição de base mais relevante do Estado; sete da ‘Copa Fast Gool’; seis da ‘Copa Popular’ e quatro da ‘Copa Guri’. Com idades entre quatro e 16 anos, os atletas de Raí, muito mais do que passe, domínio, cabeceio e finalização, aprendem sobre disciplina, persistência, respeito ao próximo, perseverança, autoconfiança e cidadania. “Nossa comissão técnica está focada em preparar bons cidadãos. E aqueles que alcançarem níveis profissionais no futebol não vão esquecer suas origens, fazendo a diferença em suas comunidades e inspirando cada vez mais garotos a sonhar grande”, conclui o idealizador do Tigres.

Depoimentos

“O Tigres me ajudou a ter disciplina e responsabilidade. Quero ser um jogador profissional e integrar essa grande família é uma oportunidade ímpar para batalhar pelo meu sonho. Com o Tigres fui campeão da copa A Gazetinha e de outras competições relevantes no cenário estadual. Parabenizo o professor Raí, que batalhou bastante para ter sua escolinha reconhecida, e toda comissão técnica. Meu desejo é de que o Tigres, sempre orgulhoso dos futuros craques que revelar, possa crescer ainda mais”.
Gustavo Brito, 13, jogador do Tigres há cinco anos; capitão do time sub-14


“Aprendi muita coisa no Tigres. Disputei diversos campeonatos e sou grato por cada oportunidade e incentivo que obtive. Sonho em jogar profissionalmente, levando o nome da minha escolinha e do meu professor Raí em cada etapa dessa caminhada. Parabéns pelos 11 anos de conquistas e superações, Tigres”.
Pedro Henrique Croce Peroni, 11, jogador do Tigres há sete anos; capitão do time sub-12

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui