Governo federal autoriza Porto da Imetame a operar cargas gerais

O extrato de termo aditivo foi publicado no Diário Oficial da União de ontem 28

0
747
Maquete do futuro Porto da Imetame em Aracruz, com previsão de funcionar em três anos

O projeto do Terminal de Uso Privativo (TUP) da Imetame Logística em Barra do Sahy, em Aracruz, recebeu autorização do Ministério da Infraestrutura para a inclusão do perfil de cargas gerais, contêineres e granéis líquidos no futuro porto da empresa, que fica ao lado do Estaleiro Jurong.

O extrato de termo aditivo, publicado no Diário Oficial da União de ontem 28, foi assinado pelo secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni e Silva; pelo diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Eduardo Nery Machado Filho; e o diretor comercial da Imetame Logística, Anderson da Silva de Carvalho.

A autorização federal permite a operação de contêineres, cargas gerais e granéis líquidos (petróleo e seus subprodutos, óleos vegetais e outros). O diretor operacional da empresa, Giuliano Favalessa, informou a um jornal de Vitória que “a superação desta etapa era importante porque o terminal tinha autorização para operar com outros tipos de produtos”.

E continua: “agora é aguardar a liberação, pela Superintendência de Patrimônio da União (SPU), de uma outra autorização e cessão do uso do espelho d’água, que deve ser autorizado até o final de junho”. Favalessa conclui afirmando que “quando o porto foi idealizado, a ideia era que ele movimentasse cargas próprias, como do setor metalomecânico, além de itens para apoio às operações de petróleo e gás offshore, além de rochas ornamentais. Em 2016 a matriz de cargas foi alterada, incluindo contêineres, cargas gerais e granéis líquidos, e por isso houve a necessidade do aditivo ao contrato, que foi assinado agora”.

Como será o empreendimento

O Porto da Imetame tem conceito multipropósito, possui mais de um milhão de metros quadrados de área total e contará com infraestrutura inicial para movimentar 300 mil TEUs (6.480.000 toneladas) por ano, com capacidade de expansão de movimentação para mais de um milhão de TEUs. Com profundidade de 17 metros, quando o porto entrar em operação, a perspectiva é que sejam criados 640 empregos diretos e mil indiretos. Na primeira etapa de operação serão movimentados contêineres e cargas gerais, com previsão de que sejam escoados produtos de Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo e itens do Espírito Santo, além de cargas vindas da região Central do país, produzidas pelo agronegócio.

O que é TEU

Unidade Equivalente a Vinte Pés – é uma unidade inexata de capacidade de carga usada para descrever um contêiner baseado no volume de 20 pés de comprimento (6,1 m). Uma caixa padrão de metal que pode ser transferida entre diversos modos de transporte, como navios, trens e caminhões. Define-se como inexata pois não pode ser facilmente convertida para outras unidades. As dimensões mais comuns para um contêiner de 20 pés são: 6,1m de comprimento, 2,4m de largura e 2,6m de altura, com um volume de 39 m³. Calcula-se que a capacidade máxima de carga de 1 TEU, descontada sua própria massa, é em torno de 21,6 toneladas, que é o melhor, mais seguro e versátil equipamento para cargas de todos os tipos.

PUBLICIDADE