Gastos dos municípios capixabas com programas de assistência social crescem 6,6%

Os dados foram divulgados pelo anuário Finanças dos Municípios Capixabas, da Aequus Consultoria

0
2
Reprodução/Divulgação

Em 2020, ano marcado pela pandemia, que trouxe consequências além da saúde pública e envolvem fatores econômicos e sociais, a aplicação de recursos em programas de assistência social pelos municípios capixabas somou R$ 463,5 milhões, com alta de 6,6% quando comparada ao ano anterior. Os dados foram divulgados pelo anuário Finanças dos Municípios Capixabas, da Aequus Consultoria.

De acordo com Tânia Villela, economista e editora da publicação, a aplicação de recursos na pauta vem crescendo desde 2018, mas em 2020 foi incrementada pelos investimentos necessários para mitigar os efeitos sociais da pandemia. “Contribuiu para esse acréscimo a injeção de recursos federais definida pela Lei Complementar nº 173, que destinou R$ 540,7 milhões aos municípios capixabas a serem investidos em saúde e assistência social”, pontuou.

Das 11 cidades do Espírito Santo com maiores portes populacionais, oito registraram crescimento de aportes para assistência social em 2020. Foram elas: São Mateus (72,7%); Guarapari (18,6%); Cariacica (18,1%); Vitória (15,8%); Cachoeiro de Itapemirim (14,3%); Serra (9,6%); Linhares (5,4%); e Viana (1,3%). Por outro lado, Vila Velha, Aracruz e Colatina registraram, respectivamente, quedas de 9,6%, 6,6% e 1,9% nos gastos com a pauta.

Já entre os 67 municípios capixabas com população inferior a 51 mil habitantes, a maioria registrou retração na despesa com assistência social em 2020. Ainda assim, o gasto do grupo ficou praticamente estável em comparação com 2019, com variação de apenas 0,1%. Destaque para os aumentos em São Roque do Canaã (59,6%), Mimoso do Sul (45,4%), Marataízes (41,6%), Piúma (36,9%), Conceição do Castelo (25,9%) e Ponto Belo (25,3%).

Em números absolutos, as cidades capixabas que mais destinaram recursos à assistência social em 2020 foram Vitória, com acréscimo de R$ 9,6 milhões; São Mateus, com R$ 6,8 milhões a mais; Serra, com R$ 4 milhões; Cariacica, também com R$ 4 milhões; Marataízes, com incremento de R$ 3,8 milhões; e Cachoeiro de Itapemirim, com R$ 2,6 milhões a mais.

PUBLICIDADE