Fundão e João Neiva voltam para risco moderado de transmissão do novo coronavírus

Aracruz e Ibiraçu seguem com risco alto de transmissão, de acordo com Mapa de Gestão de Risco do Governo do Estado

0
163
Desde o início do mapeamento de risco em 20 de abril, João Neiva ficou três semanas com risco baixo, quatro com risco moderado e cinco com risco alto. Nesta semana, o município votou ao risco moderado. Foto: Divulgação

Enquanto Fundão (após 11 semanas) e João Neiva (depois de cinco semanas) voltaram ao risco moderado de transmissão do novo coronavírus no Mapa de Gestão de Risco do Governo do Estado, podendo liberar o funcionamento do comércio não essencial de segunda a sexta-feira, Aracruz e Ibiraçu, respectivamente pela quarta e sexta semana consecutiva, seguem entre os municípios com risco alto, devendo decretar o fechamento alternado das lojas não essenciais.

O Mapa de Gestão de Risco é a ferramenta utilizada pelo governo para classificar, agora de forma individual, o grau de vulnerabilidade diante do novo coronavírus nos 78 municípios do Estado. Em sua 13ª edição, que terá vigência entre hoje 13 e o próximo domingo 19, o mapeamento traz 41 cidades com risco alto e outras 37 com risco moderado. Não há nenhum município com risco baixo ou extremo.

A estratégia de mapeamento de risco teve início no último dia 20 de abril, levando em consideração o coeficiente de incidência da doença. No dia 04 de maio, o Mapa de Gestão de Risco passou a contar a taxa global de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Já no dia 18 de maio, a Matriz de Risco Ampliada entrou na terceira fase com a inserção da taxa de letalidade, do índice de isolamento social e a porcentagem da população acima dos 60 anos – considerado como grupo de risco.

Nesta semana, entra em vigor a Matriz de Risco Ajustada, que constará o coeficiente de incidência e a taxa de letalidade no período dos últimos 28 dias. A novidade também exclui a permanência obrigatória do município pelo período de 14 dias quando for classificado como risco alto, além de extinguir o critério de conurbação das cidades da Grande Vitória para efeitos de determinação do grau de risco e a regra limítrofe. Desta forma, todas as cidades capixabas serão classificadas de forma individual, sem influência do grau de risco dos municípios vizinhos.

PUBLICIDADE