Findes constrói Centro de Inteligência

O centro vai embasar estratégias de atração de investimentos para desenvolver a economia capixaba.

0
31
Projeção em 3D do DataLab da Findes

Por André Hees e Siumara Gonçalves

A Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) está construindo um Centro de inteligência no oitavo andar da sede da Federação, em Vitória, o chamado DataLab, que reunirá profissionais qualificados para a produção de estudos e pesquisas. O centro vai embasar estratégias de atração de investimentos para desenvolver a economia capixaba.

O Centro de Inteligência contará com a expertise do Ideies, Senai, Sesi, IEL e Cindes, reunindo técnicos qualificados para estudos econômicos. O projeto também está em sintonia com a agenda de transformação digital da Findes, já consolidada na Federação com o Findeslab, um hub já totalmente integrado ao ecossistema de inovação no Estado.

A obra do DataLab da Findes deverá ser realizada entre os meses de setembro e dezembro deste ano. Apenas em equipamentos de tecnologia, como computadores e painéis interativos, serão investidos mais de R$ 750 mil.

Essa iniciativa da Findes está em linha com o que vem sendo desenvolvido por outras Federações de Indústrias do país, em Estados como Santa Catarina, Paraná, Ceará e Goiás. Essas Federações já têm implantados os seus laboratórios de dados, que têm se mostrados fundamentais para fomentar o desenvolvimento das regiões em que estão inseridas”, comenta a presidente da Findes, Cris Samorini.

Samorini explica que, em um olhar mais atento para esses estados, nota-se que Santa Cataria e Paraná assumem posições de referência nacional no que tange à competitividade. De acordo com a última edição do Ranking de Competitividade produzido pelo CLP (Centro de Liderança Pública), Santa Catarina posicionou-se em 2º lugar e Paraná em 4ª lugar, ambos à frente do Espírito Santo, que assumiu a 5º posição.

No pilar Inovação, que é medido dentre outros indicadores pela existência de empreendimentos inovadores no Estado, Santa Cataria e Paraná assumiram a 3ª e 4ª posição, respectivamente, entre as 27 unidades federativas. O Espírito Santo, por sua vez, está na 13ª colocação.

Já pela ótica da empregabilidade, os estados de Santa Catarina e Paraná também são destaques nacionais. No primeiro trimestre de 2021, de acordo com o IBGE, as taxas de desocupação desses estados foram de 6,2% e 9,3%, respectivamente. Enquanto isso, o Espírito Santo registrou uma taxa de desemprego de 12,9%, e, no país, o índice de desocupação foi de 14,7%.

Os bons resultados apresentados por Santa Catarina e Paraná certamente são explicados por uma confluência de fatores, mas, em comum, esses Estados têm em suas Federações de Indústrias centros de inteligências e laboratórios de dados que compõem o ecossistema de inovação de suas regiões, fomentando a atração de investimento e ajudando no desenvolvimento da economia local”, destaca Cris Samorini.

O trabalho desenvolvido pela Findes, em especial nos últimos anos por meio do Ideies, fortaleceu a geração de dados e informações no Espírito Santo. “O DataLab, ao integrar ferramentas de big data com a capacidade de articulação institucional da Findes, fará a diferença para a atração de investimentos e, consequentemente, para o desenvolvimento da economia capixaba”, enfatiza a presidente da Findes.

PUBLICIDADE