Festival CORETO abre inscrições para oficinas

Com maestros internacionais e foco em bandas de música capixabas, Coreto traz músicos de renome nacional e internacional para compartilhar técnicas de ensaio, aquecimento, ensino coletivo, repertório e técnicas de execução musical

0
21
A direção pedagógica do festival será do maestro Eduardo Lucas, professor da Faculdade de Música do Espírito Santo (Fames) e um dos pilares mais importantes da formação musical instrumental do Espírito Santo na atualidade. Foto: Divulgação

Músicos de Aracruz poderão se inscrever a partir de hoje 10, para a primeira edição do Coreto – Festival Capixaba de Bandas de Música. Online e gratuito, o festival oferece formação teórica e prática em 10 oficinas para músicos que atuam em bandas de música no Brasil.

Os alunos terão aulas com músicos de renome nacional e internacional. As oficinas serão sobre Flauta Transversal, Clarinete, Saxofone, Trompa, Trompete, Trompete, Tuba/Eufônio, Percussão e mais duas oficinas de regência. O regulamento está disponível no site do festival e as inscrições, também gratuitas, podem ser feitas até o dia 30 no site festivalcoreto.com.br. O Coreto será realizado de 26 a 30 de janeiro.

A direção artística do festival será do maestro Dario Sotelo, regente da Banda Sinfônica da Escola Municipal de Música de São Paulo, e a direção pedagógica do maestro Eduardo Lucas, professor da Faculdade de Música do Espírito Santo (Fames) e um dos pilares mais importantes da formação musical instrumental do Espírito Santo na atualidade.

Iniciativa para fortalecer o movimento de bandas de música no Espírito Santo, o festival selecionará 30 alunos para oito oficinas instrumentais e 90 alunos para duas oficinas de regência. Além das oficinas, os alunos irão participar da gravação de uma música em formato online.

Os professores das oficinas instrumentais são músicos das principais orquestras e instituições de educação musical do país. Já os maestros das oficinas de regência são figuras de importância internacional. O maestro espanhol Rafael Sanz-Espert e o maestro norte-americano Darrell Brown irão trazer para os regentes brasileiros a experiência de direção musical de outros países.

OFICINAS
Oficina 1 – Flauta Transversal
José Ananias Souza Lopes (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo)

Oficina 2 – Clarinete
Otinilo Pacheco (Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo)

Oficina 3 – Saxofone
Rafael Migliani (Conservatório de Tatuí)

Oficina 4 – Trompa
Nikolay Genov (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo)

Oficina 5 – Trompete
Pedro Mota (Universidade Federal de Minas Gerais)

Oficina 6 – Trombone
João Paulo Moreira (Orquestra Experimental de Repertório)

Oficina 7 – Tuba/Eufônio
Luis Serralheiro (Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo)

Oficina 8 – Percussão
Thiago Lamattina (Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo)

PUBLICIDADE