Estudantes de Ibiraçu produzem jornal e anúncios publicitários

O projeto tem como prioridade desenvolver nos alunos o espírito de equipe e desenvolver uma linguagem persuasiva por meio do gênero Anúncio Publicitário

0
42
Capa do Jornal Narceu News. Foto: Divulgação

Para desenvolver nos alunos o espírito de equipe, a linguagem oral e escrita e a linguagem persuasiva, a Escola Estadual Narceu de Paiva Filho, de Ibiraçu, desenvolveu os projetos “Jornal Narceu News” e “Publicidade e Empreendedorismo”. Inicialmente, os alunos leram diversas notícias de forma coletiva com o intuito de entender as funções sociais desse gênero. Posteriormente, foram feitas análises da estrutura, conteúdo e linguagem. Em grupos, produziram notícias relacionadas à escola: eventos, aulas de campo, aulas diferenciadas e projetos desenvolvidos.

Todo conteúdo foi digitalizado pelos próprios alunos e o jornal foi editado com o auxílio da professora de Língua Portuguesa, Nuciala Mognato Tureta. Para custear a impressão colorida dos exemplares, os alunos contaram com patrocínios do comércio local. Os estabelecimentos foram divulgados na parte de publicidade do jornal.

O projeto tem como prioridade desenvolver nos alunos o espírito de equipe e desenvolver uma linguagem persuasiva por meio do gênero Anúncio Publicitário. Por meio desse projeto, os alunos exercitam a escrita e entendem a função social dos textos publicitários e suas “armadilhas” para despertar o interesse de compra dos consumidores.

Inicialmente, os alunos usaram os Chrombooks para pesquisar diferentes anúncios. Através das pesquisas, puderam analisar nas aulas de Língua Portuguesa, o uso de estratégias de persuasão como o modo imperativo, recursos multimodais e frases de grande impacto.

Em grupos, decidiram qual produto alimentício gostariam de vender, criando anúncios. Em seguida, fizeram os cálculos de custo e preço de venda, juntamente com a professora. “Eles divulgaram seus produtos por meio dos anúncios criados e realizaram as vendas no recreio, numa data agendada com antecedência. As vendas atingiram as metas e o lucro foi usado, parte para pintura dos muros da escola e parte para uma aula de campo no Museu de Santa Teresa e em uma fábrica de biscoitos da mesma cidade”, explicou Nuciala Tureta.

PUBLICIDADE