Estado investiga caso suspeito de coronavírus em Aracruz

Paciente de 25 anos, morador de Aracruz, apresentou febre, coriza e mialgia após viagem a Singapura. Com quadro clínico leve, ele está isolado em sua residência

0
303
Foto: Divulgação

O Centro de Operações Estratégicas (COE) da Secretaria de Estado da Saúde foi informado na tarde desta quarta-feira 26 sobre mais um caso suspeito de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. Trata-se de um homem de 25 anos, morador de Aracruz, que apresentou febre, coriza e mialgia após viagem a Singapura, país asiático que está na lista de risco do Ministério da Saúde.

A secretaria de Estado da Saúde informou que o procedimento de investigação foi iniciado e o paciente terá o material coletado para realização de exame nesta quinta-feira 27. Ele apresenta quadro clínico leve, sem sinais de gravidade sendo, nesses casos, indicado o isolamento domiciliar de acordo com o protocolo adotado no Brasil.

Essa é a segunda suspeita de Covid-19 registrada no Estado. A primeira, notificada no município de Serra, foi descartada. O paciente recém-chegado da Itália foi diagnosticado com influenza A (gripe).

Hoje 26, o Ministério da Saúde confirmou o primeiro caso de Covid-19 do Brasil. O homem de 61 anos voltou da Itália na última sexta-feira 21 e procurou o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, na segunda-feira 24, quando começou a apresentar os sintomas. Um exame preliminar feito na unidade de saúde havia dado positivo para o vírus. A contraprova foi feita no laboratório Instituto Adolfo Lutz que também deu resultado positivo.

Também na segunda-feira 24, o Ministério da Saúde aumentou para 16 o número de países em alerta para o novo coronavírus. Estão na lista: Alemanha, Austrália, Camboja, China, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Emirados Árabes Unidos, Filipinas, França, Irã, Itália, Japão, Malásia, Singapura, Tailândia e Vietnã. Isto significa que, pessoas que viajaram para estas regiões nos últimos 14 dias e apresentaram sintomas da Covid-19 devem ser enquadradas como casos suspeitos da doença.

PUBLICIDADE