Erick Musso propõe auxílio gás para famílias mais vulneráveis

O programa será voltado às famílias vulneráveis, como as que, por exemplo, fazem parte do Cadastro Único do governo federal

0
34
Diante do 6º aumento consecutivo do gás neste ano, a proposta do deputado Erick Musso visa mitigar o impacto financeiro no bolso das famílias mais carentes do Estado

Por Dani Sanz

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Erick Musso, está propondo, via projeto de lei, a criação do Auxilio Social do Gás, destinado a auxiliar famílias de baixa renda a comprarem botijão de gás no Estado. O programa será voltado às famílias vulneráveis, como as que, por exemplo, fazem parte do Cadastro Único do governo federal.

Entendemos que o Auxilio Social do Gás, destinado a assegurar às famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza o acesso ao gás para uso doméstico trará um alento a quem mais está sofrendo, com o desemprego, com a falta de renda, para poder usar a diferença de preço do gás de cozinha em comprar alimento para suas famílias”, afirma o presidente da Assembleia.

Terá direito ao auxílio gás a família que, por exemplo, tenha renda mensal menor ou igual a meio salário mínimo ou que viva exclusivamente do trabalho doméstico ou ainda que seja idoso com 65 ou mais, ou pessoa com deficiência que receba o benefício de prestação continuada.

Ao Governo do Estado caberá a coordenação do programa, no acompanhamento, avaliação e controle das atividades necessárias à sua execução. Já as despesas criadas por esta Lei serão custeadas prioritariamente com recursos disponíveis no Fundo de Combate à Pobreza (FECOP).

Gás mais caro

O preço médio do gás liquefeito de petróleo (GPL) ou gás de cozinha da Petrobras ficou 6% mais caro desde a última desta terça-feira 06. É o sexto aumento do produto neste ano. Com isso, o valor passa para R$ 3,60 o quilo, um aumento médio de R$ 0,20. Também nesta semana, a empresa subiu também os valores da gasolina (+6%) e do óleo diesel (+3,7%). De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Gás Liquefeito de Petróleo do Estado do Espírito Santo (Sinregás), esse reajuste significa um acréscimo entre R$ 4 e R$ 5 para o consumidor final. Com a alta, o preço do botijão de gás já está custando, em média, R$ 95 nas revendedoras.

PUBLICIDADE