Erick Musso busca apoio importante na cúpula das igrejas Assembleia de Deus

O PSC, partido que fechou aliança com o Republicanos, é ligado à denominação evangélica

0
7
“Erick Musso é da nossa igreja, é da nossa denominação, defensor dos princípios morais que rege a palavra de Deus", afirma o presidente da CGADB. Foto: Divulgação

Reunido em São Paulo na segunda-feira 04, acompanhado do presidente do PSC-ES, Reginaldo Almeida; e da deputada federal Lauriete, o presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso (Republicanos), conversou com o pastor José Wellington Costa Junior, presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), para apresentar as suas propostas de governo e o que defende e, como evangélico da denominação, buscar apoio para a pré-candidatura a governador do Espírito Santo. O PSC, partido que fechou aliança com o Republicanos, é ligado à denominação evangélica.

A igreja Assembleia de Deus é uma das maiores denominações evangélicas do País. No Estado, pelo menos cinco convenções da igreja são ligadas à CGADB: Cemades (Convenção Evangélica dos Ministros das Assembleias de Deus no Espírito Santo), Confradeesto (Convenção Fraternal das Assembleias de Deus do Espírito Santo e Outros), Ceades (Convenção de Pastores e Evangelistas das Assembleias de Deus do Espírito Santo), Comadeeso (Convenção dos Ministros das Assembleias de Deus no Espírito Santo e Outros) e, a maior de todas, a Cadeeso (Convenção das Assembleias de Deus no Estado do Espírito Santo e Outros).

Segundo o presidente da Comissão Política da Cadeeso – convenção que reúne 3.879 ministros (pastores e evangelistas) –, pastor Rafael Ferreira, a CGADB costuma orientar as convenções afiliadas nos estados com relação ao apoio da igreja a candidatos que sejam da denominação. Segundo Rafael, há uma orientação da nacional para não apoiar pré-candidatos que estarão no mesmo palanque em que esteja o ex-presidente Lula.

Se essa determinação permanecer, as lideranças assembleianas podem ter que ficar fora do palanque do governador Renato Casagrande (PSB), embora muitas tenham proximidade e boa relação com o governador. “A Convenção Geral dará apoio os candidatos indicados pelas convenções e igrejas do Estado. Tendo o apoio da Convenção do Estado, sendo membro de Assembleia de Deus ligada à CGADB, a Convenção Geral recebe, avalia e daí então decide sobre o apoio à candidatura”, disse a CGADB, por nota.

Segundo a CGADB, os representantes das igrejas locais devem ser consultados: “A Convenção Nacional não interfere na decisão das convenções estaduais, visto que cada diretoria tem suas prerrogativas e conhece a sua própria realidade. A Convenção Geral, em assuntos como este, segue a decisão da convenção do Estado”.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui