Empresário cria oportunidade de trabalho para quem está em casa

Ao invés de contratar pessoas de fora para vender assinaturas do Vivo Fibra, um serviço que vai levar internet de 300 megas para 8 mil residências, o empresário Evilasio Costa disponibilizou as vagas para todos aqueles que quiserem ganhar um dinheirinho extra sem sair de casa

0
1102
O empresário Evilasio Costa. Foto: Arquivo Pessoal

Em tempos de pandemia, com a grande maioria das pessoas em casa, e muitas sem poder trabalhar, iniciativas que proporcionem trabalho e renda são sempre bem vindas. Através de um novo serviço anunciado pela operadora Vivo, o empresário Evilasio Costa abriu esta semana uma interessante frente de trabalho para os internautas. A iniciativa foi muito bem recebida em Aracruz.

Ao invés de contratar pessoas de fora para vender assinaturas do Vivo Fibra, um serviço que vai levar internet de 300 megas para 8 mil residências, o empresário disponibilizou as vagas para todos aqueles que quiserem ganhar um dinheirinho extra sem sair de casa. Por cada pessoa que contratar o Vivo Fibra, o internauta ganha R$ 10,00.

Fechando 30 contratos, o internauta embolsa R$ 300,00, fechando 300, o rendimento será de R$ 3 mil, e por aí vai. A assinatura do Vivo Fibra é de R$ 129,00 por mês, na tabela de maio. A vantagem desse tipo de venda, segundo Evilasio Costa, é que a pessoa não precisa sair de casa. Outra vantagem é que a Vivo fornece a lista das 8 mil residências onde o Vivo Fibra pode ser instalado. O novo serviço da Vivo foi lançado durante uma live que Evilasio Costa fez na semana passada na companhia de dois influenciadores digitais: Diego Gonçalves (@eudiegogoncalves) e Patrícia Rangel (@patriciaxrangel). Nesta quarta-feira 13, às 20h, o empresário fará uma nova live no Facebook (fb.com/evilasiocosta.aracruz ou fb.com/lojavivoaracruz) e Instagram (@evilasiooc ou @lojavivoaracruz).

Por que o Sr. decidiu abrir essa frente de trabalho no meio dessa pandemia?
Evilasio Costa – Justamente por causa da pandemia, que está impedindo muitas pessoas de saírem de casa, é que eu achei oportuno possibilitar um ganho extra para quem está cumprindo o isolamento social. Eu poderia contratar uma equipe de fora, já treinada, para vender o VIVO FIBRA, isso tá na rotina de qualquer empresa, são contratações que a gente faz até por telefone. Mas aí eu pensei: por que não criar uma oportunidade de trabalho e renda para as pessoas de Aracruz que estão em casa por conta dessa pandemia? Um dinheiro extra sem sair de casa não é nada mal, não é mesmo?

O VIVO FIBRA é uma novidade em Aracruz. Qual a importância desse serviço?
Evilasio Costa – Você sabe, o máximo de velocidade que existe hoje em Aracruz é em torno de 50 megas. Nossa cidade ainda não tem banda larga como esta, tudo é muito lento na internet, muito sofrido. Pois bem, o VIVO FIBRA vai levar a internet para 8 mil residências com até 300 megas. Isso vai acabar de vez com os problemas que a gente tem hoje com a internet.

Essa nova equipe de vendedores será preparada para dar conta das vendas?
Evilasio Costa – Eu tenho comigo uma convicção: a necessidade faz a excelência. Se a pessoa estiver mesmo precisando aumentar o seu rendimento durante a pandemia, ela vai se esforçar ao máximo e dar o melhor de si, o resultado certamente será positivo. Além disso, a VIVO já é uma referência de qualidade no mundo inteiro, dispensa apresentações e argumentos extras de venda. Não há necessidade de treinamento para esse tipo de trabalho. Eu confio na capacidade da turma da internet.

O interessante dessa frente de trabalho é que a própria pessoa define o seu rendimento. Explica isso melhor.
Evilasio Costa – Por cada contrato que o internauta fizer, sentando diante do computador ou do celular, ele ganha R$ 10 reais. Indicando 30 assinantes, ele embolsa R$ 300 reais. Se fizer 300 contratos, o rendimento será de 3 mil reais, e por aí vai. A renda será sempre proporcional ao esforço de cada um. Todos os vendedores vão receber a lista das residências que podem contratar o serviço. Se o dono da casa for um vizinho, um parente ou um amigo, melhor, o trabalho será mais fácil.

É visível a sua preocupação com o coletivo. Sempre foi assim ou é essa pandemia que o está incentivando a agir assim?
Evilasio Costa – Antes de ser empresário, eu me coloco no mundo como um cidadão ativo, que participa da vida da cidade onde mora. Acho que não basta amar o lugar onde a gente vive, é preciso ajudar de todas as formas possíveis as pessoas ao nosso redor… nossos vizinhos, nossos amigos… A cidade é a nossa casa! Se tem uma coisa que essa pandemia está ensinando é pensar no coletivo… cuidar dos outros… isso é muito importante. Eu aprendi a fazer isso muito cedo, lá em casa eram 10 filhos… dinheiro curto… a gente tinha que se ajudar o tempo todo. Eu cresci com a responsabilidade social já formada na minha mente e no meu coração. Tudo que eu faço hoje no mundo empresarial é com o foco no coletivo, procurando melhorar a vida das pessoas. Eu acredito nisso: quando a gente cuida bem das pessoas, a vida cuida bem da gente também.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui