Prefeito eleito de Aracruz herdará Cerco Eletrônico, tecnologia que identifica veículos irregulares

Aliado importante das forças de segurança, o Cerco Eletrônico deve ser ampliado da sede para a orla e o interior de Aracruz

0
171
Sala de controle da Central Integrada de Segurança Pública (CISP), composta pelo Cerco Eletrônico e o Videomonitoramento. Foto: Divulgação

Desde janeiro de 2019, Aracruz conta com uma tecnologia capaz de identificar veículos irregulares e rastrear rotas de fuga dos mesmos. É o Cerco Eletrônico, aliado importante das forças de segurança, que o futuro prefeito terá o desafio de ampliar da sede para a orla e o interior do município.

O eleito herdará da atual administração 15 câmeras equipadas com Reconhecimento Óptico de Caracteres (OCR, na sigla em inglês), que estão distribuídas por 33 faixas de circulação, além de um estudo já concluído para a ampliação desse monitoramento, o que permitirá levá-lo também às entradas, saídas e outros pontos estratégicos dos distritos.

Uma das câmeras do Cerco Eletrônico. Foto: Divulgação

No Cerco Eletrônico, as câmeras fazem a leitura das placas dos veículos e passam para a análise em um banco de dados. Se for identificada alguma irregularidade, como casos de furto ou roubo, um alarme é emitido na Central Integrada de Segurança Pública (CISP) e as autoridades policiais são acionadas para os devidos procedimentos. Também é possível realizar cadastros para averiguação preventiva em caso de denúncias.

Aracruz foi o segundo município do Estado e o 30° do país a contar com o Cerco Eletrônico. Ele está integrado com as polícias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal, que têm acesso mútuo ao banco de dados. O sistema ainda é agregado ao Ministério da Justiça e, desde junho deste ano, também está interligado com municípios que possuem o mesmo dispositivo nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Opiniões

Para o delegado Rodrigo Peçanha, titular da Delegacia Especializada de Infrações Penais e Outras (Dipo) e da Delegacia Patrimonial de Aracruz, o Cerco Eletrônico representa um avanço enorme no combate à criminalidade no município. “Ele permite termos acesso quase em tempo real aos fatos, possibilitando que possamos identificar com muita facilidade as placas dos veículos envolvidos nas ocorrências policiais. Atuo em Aracruz desde março de 2018 e percebi uma mudança muito grande na resolutividade das nossas ocorrências depois da implantação do Cerco Eletrônico. É uma ferramenta fantástica e essencial”, relatou.

Para o tenente Adriano de Farias Santos, o Cerco Eletrônico otimizou as ações do 5° Batalhão da Polícia Militar, que passou a dar respostas rápidas aos crimes envolvendo veículos em Aracruz. “Temos alcançado excelentes resultados com essa ferramenta imprescindível tanto para a atuação operacional quanto para o serviço de inteligência da Polícia Militar, bem como da Polícia Civil. O aumento no número de veículos roubados ou furtados que foram recuperados, por exemplo, tem participação do Cerco Eletrônico, que somado ao trabalho ostensivo da Polícia Militar, tem inibido esse tipo de crime na região”, destacou.

Os mecanismos do Cerco Eletrônico permitem alcançar objetivos estratégicos na área da Segurança Pública, com a prevenção e combate à violência, permitindo o monitoramento dos veículos que chegam e saem da sede de Aracruz, apurando quais possivelmente foram furtados ou roubados, além de outros com restrições que estejam circulando. Alguns casos identificados não são divulgados por se tratarem de investigações de caráter sigiloso.

Entre os casos divulgados onde o Cerco Eletrônico foi crucial, estão a apreensão, no último mês de junho, em Aracruz, de um carro que circulava com a placa clonada de um veículo de Contagem (MG); a recuperação, também no município, de um carro roubado em Praia Grande, distrito de Fundão, em maio deste ano; a rápida recuperação de duas motos roubadas no centro da cidade em novembro de 2019 e a localização, em dezembro de 2019, de um carro alugado em 2018 e que não havia sido devolvido à locadora na data estipulada.

O Cerco Eletrônico também foi fundamental para Polícia Militar no último dia 14 de outubro, quando o serviço de inteligência verificou que um veículo poderia estar transitando pelas ruas de Aracruz com pessoas armadas e envolvidas no tráfico de entorpecentes. A informação foi passada para os operadores do Cerco, que detectaram a passagem do veículo suspeito por um dos pontos monitorados. De meditado, uma guarnição da Força Tática foi direcionada para realizar a abordagem, que culminou numa operação policial, havendo a apreensão de 255 pedras de crack, 66 buchas de maconha e 86 gramas da mesma substância, além de um revólver calibre .38, municiado com dois projéteis intactos.

Videomonitoramento é aliado do Cerco Eletrônico

Um dos pontos monitorados pelo sistema de videomonitoramento em Aracruz. Foto: Divulgação

Além do Cerco Eletrônico, o novo prefeito de Aracruz herdará da atual administração um sistema de videomonitoramento ampliado em relação ao número de câmeras, que passou de 24 para 36. E o melhor: o contrato recém-realizado das novas câmeras, que já estão sendo instaladas ou substituídas em pontos estratégicos tanto na sede quanto nos principais distritos, gerou uma economia significativa para os cofres do município.

De acordo com a secretaria municipal de Administração, o contrato existente na cidade foi finalizado recentemente e o último valor pago foi de R$ 82.960,26. Com a nova contratação, Aracruz irá economizar quase R$ 7 mil por mês. O município passa a contar com 36 câmeras de videomonitoramento, no valor total mensal de R$ 57.176,93.

Em 2014, o município contava com 24 câmeras e um valor mensal de R$ 148.560,00. Esse contrato foi encerrado em novembro de 2018, com valor total mensal de R$ 126.276,00. No contrato seguinte, também em novembro de 2018, a empresa foi contratada pelo valor total mensal de R$ 82.960,26.

Juntos e complementando um ao outro, o Cerco Eletrônico e o sistema de videomonitoramento compõem a Central Integrada de Segurança Pública (CISP) de Aracruz, que oferece às forças policiais mais poder de investigação e inteligência no combate ao crime.

Obs. O jornal FOLHA DO LITORAL traz nesta edição a quinta reportagem sobre os desafios ao futuro prefeito de Aracruz, como forma de contribuir para uma administração transparente e que venha ao encontro dos anseios dos moradores. Serão publicados mais três desafios nas próximas semanas.

PUBLICIDADE