Eco101 não define duplicação do trecho Norte da BR-101

Da Serra até João Neiva há uma “expectativa muito forte” de as obras serem iniciadas

0
45
Reunião da Comissão Especial de Fiscalização da Concessão da BR-101. Foto: Ana Salles

Durante reunião da Comissão Especial de Fiscalização da Concessão da BR-101 na Assembleia Legislativa, na quarta-feira 06, o diretor-superintendente da Concessionária Eco101, Júlio César Amorim, confirmou que existem problemas do ponto de vista ambiental para a duplicação do trecho Norte da rodovia BR-101, citando, entre eles, a lagoa Juparanã, Reserva de Goitacazes, Reserva de Sooretama e aeroporto de Linhares, sem explicar a situação de cada ponto, e que da Serra até João Neiva há uma “expectativa muito forte” de as obras serem iniciadas.

Amorim defendeu a não duplicação do trecho na reserva de Sooretama. Segundo ele, no trecho Serra a João Neiva já há uma licença prévia, o que quer dizer que do ponto de vista ambiental não há pendência. Ainda neste mês a Eco-101 irá pedir a Licença de Instalação (LI) para o início das obras.

O superintendente regional da Polícia Rodoviária Federal, inspetor Amarílio Luiz Boni, afirmou que tem feito reuniões periodicamente com a empresa para monitoramento dos índices de acidentes que ocorrem, principalmente, nos trechos não duplicados no Norte do Estado. Acidentes com mortes que têm sido relatados pelos deputados que representam a região, como Freitas e Marcos Garcia.

O diretor fez um relato das obras realizadas em 2021, como sistemas de instalações operacionais, serviços ao usuário, passarelas, sinalização, terraplanagem, duplicação, entre outras, de Sul a Norte. Segundo Amorim, as obras de duplicação no trecho entre Alfredo Chaves e Anchieta devem ser concluídas até o final do ano, e trecho de Anchieta a Iconha, a expectativa é para o início das obras em 2023.

PUBLICIDADE