Disque-Denúncia 181 completa 19 anos de funcionamento no Espírito Santo

Ao todo, cerca duas mil ligações são recebidas no call center do 181, que funciona 24 horas, com mais de 50 atendentes trabalhando, coletando as informações.

0
31
De janeiro a setembro, foram recebidas 46.795 denúncias de crimes, que resultaram na prisão de 1.566 criminosos, além da recaptura de 143 foragidos da Justiça. Além disso, 243 quilos de drogas, 379 armas e quase R$ 650 mil apreendidos em todo o Estado, graças às ligações realizadas pela população

O Disque-Denúncia 181 da secretaria da Segurança Pública e Defesa Social completa, nesta segunda-feira 19, os seus 19 anos de existência e de auxílio no trabalho policial no Espírito Santo. A ferramenta é uma grande “arma” da população e das forças de segurança no combate à criminalidade.

Ao todo, cerca duas mil ligações são recebidas no call center do 181, que funciona 24 horas, com mais de 50 atendentes trabalhando, coletando as informações. Em média, cerca de 50% desse total são classificadas como procedente pelas polícias, resultando em algum tipo de prisão, apreensão de armas, drogas, munições, captura de foragidos da Justiça, elucidação de homicídios, retirada de animais de cativeiro ou servem para subsidiar inquéritos ainda em tramitação, como casos de violência doméstica, corrupção, estupro, crimes ambientais, crimes cibernéticos e outros.

Somente no ano de 2020, de janeiro a setembro, foram recebidas 46.795 denúncias de crimes, que resultaram na prisão de 1.566 criminosos, além da recaptura de 143 foragidos da Justiça. Além disso, 243 quilos de drogas, 379 armas e quase R$ 650 mil apreendidos em todo o Estado, graças às ligações realizadas pela população.

O delegado Paulo Expedicto Amaral, gerente do Disque-Denúncia 181, destaca a segurança da ferramenta, visto que sequer o policial que está recebendo a informação sabe de onde ela partiu. “O anonimato é de 100%. Nem mesmo quem trabalha conosco sabe quem está ligando para realizar a denúncia. O importante é a informação, com a maior precisão possível, para que um crime possa ser coibido ou evitado. A contribuição da população é fundamental nesse processo”, afirmou.

Amaral ainda destacou que a secretaria vem implementando melhorias frequentes no serviço, que desde 2018 passou a contar com a possibilidade da denúncia on-line. Ou seja, o cidadão que preferir denunciar pelo site basta acessar o portal disquedenuncia181.es.gov.br/ e descrever a situação no ícone correspondente.

Estamos buscando nos adaptar às novas tecnologias a cada dia e facilitar a vida do cidadão na hora de fazer uma denúncia. Em breve vamos lançar um portal de pessoas desaparecidas, que será o primeiro do País, com possibilidade de registros on-line das informações daquela vítima, que serão automaticamente cadastradas, a partir do momento em que a pessoa registrar um boletim de ocorrência presencialmente na Delegacia ou pelo site através da Delegacia On-line (DEON)”, informou.

O delegado falou ainda sobre o processo de modernização do sistema. “Para continuar prestando um serviço de excelência à população capixaba, o Disque-denúncia vem se modernizando, desenvolvendo e oferecendo novos produtos e serviços. O resultado dessa desse trabalho demonstram que a atividade policial no Espirito Santo tem no serviço uma importante fonte de informação e investigação”, pontuou o delegado.

História
Em 19 de outubro de 2001, a secretaria de Segurança, em parceria com o Movimento Rio de Combate ao Crime (MOV RIO), trouxe para o Estado a experiência do Disque-Denúncia do Rio de Janeiro. Em março de 2003, a ONG Espírito Santo Unido Contra o Crime (ESUCC) e a secretaria celebraram convênio, estabelecendo uma parceria para o custeio das operações do 181, incluindo pessoal, manutenção das instalações, equipamentos e materiais de consumo.

Sempre com a garantia de manter o anonimato da pessoa que denuncia, no ano de 2005 a Central Disque-Denúncia colocou à disposição do cidadão o serviço de atendimento telefônico através do número 181, que é uma ligação gratuita de qualquer município do Estado. A parceria com a ONG se estabeleceu por uma década, quando em 2011 a SESP assumiu todos os custos do projeto.

Atualmente, o call center do Disque-denúncia (181), localizado na Capital, opera 24 horas, todos os dias, com profissionais de telemarketing devidamente treinados e capacitados para atender os cidadãos colaboradores que utilizam o serviço em todo Estado.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui