Deputados rechaçam prejudicar ambiente de negócios do Estado

Deputados estaduais usaram a tribuna da Assembleia na sessão de segunda-feira 7, para repudiar coluna publicada na edição de final de semana do jornal A Gazeta

0
33
O presidente Erick Musso destacou que o Legislativo estadual foi importante na aprovação de leis voltadas para atrair investimentos e geração de renda. Foto: Divulgação/Ales

Vários deputados estaduais usaram a tribuna da Assembleia na sessão de segunda-feira 7, para repudiar coluna publicada na edição de final de semana do jornal A Gazeta, intitulada “Discurso radical põe medo em investidores”. De acordo com o texto, falas recentes dos parlamentares poderiam criar um clima “hostil” para o ambiente de negócios do Estado.

Os deputados argumentaram que o texto não refletia a real atuação da Casa a favor de empreendimentos no Espírito Santo e que as empresas alvos de reclamações possuíam histórico de serviços ruins para os capixabas, como a ECO101, Fundação Renova, Vale, Samarco, EDP e outras.

O presidente Erick Musso destacou que o Legislativo estadual foi importante na aprovação de leis voltadas para atrair investimentos e geração de renda. “Se o governador Casagrande pode levar para a população capixaba R$ 1,5 bilhão do acordo do Parque das Baleias do petróleo agradeça à Assembleia”, disse. Ele ainda citou outras matérias que passaram pela Casa como da Companhia de Gás e de créditos de ICMS.

Musso falou que os parlamentares eram responsáveis e lembrou que a Assembleia foi fundamental para a estabilização política e reconstrução do Estado. “Nós rechaçaremos a qualquer custo e a qualquer preço toda carga negativa que tentarem colar em nosso peito porque isso não pegará. (…) Não queiram amordaçar deputados e deputadas porque todos estão aqui porque foram legitimados pelo povo”, afirmou.

Ao final de seu discurso, o presidente frisou que já estava em tramitação da Casa o Orçamento estadual para o ano que vem. “Vamos apreciar daqui a alguns dias um Orçamento de R$ 19 bilhões que atenderá ao Judiciário, ao Ministério Público, ao Tribunal de Contas, à Defensoria e que atenderá aos mais de quatro milhões de irmãos capixabas. Não vamos nos curvar perante meia dúzia de linhas irresponsáveis, para não dizer levianas, de ataque a esta Casa”, concluiu.

PUBLICIDADE