Dengue segue avançando em Aracruz

O número de confirmações registradas entre 1° de janeiro e o último dia 28 é praticamente o mesmo do acumulado nos 12 meses de 2020: 52 casos

0
11
A principal medida no combate à dengue é eliminar a água parada, principal criadouro do mosquito transmissor da doença. Foto: Divulgação

Em menos de 15 dias, a secretaria de Saúde de Aracruz confirmou nove novos casos de dengue e notificou outros 403. São agora 51 casos confirmados e 706 notificados este ano. O número de confirmações registradas entre 1° de janeiro e o último dia 28 é praticamente o mesmo do acumulado nos 12 meses de 2020: 52 casos.

Na última terça-feira 27, os agentes de endemias do município estiveram reunidos para traçarem estratégias a fim de intensificar o combate à fêmea do mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue. Além das tradicionais visitas aos imóveis para orientação aos moradores, as ações incluem a realização de bloqueios químicos.

O combate, entretanto, não depende apenas do poder público. Cada um deve fazer a sua parte. Vale lembrar que para depositar seus ovos e se reproduzir, a fêmea do Aedes aegypti precisa de água parada. Por isso, é importante evitar acúmulo do líquido em recipientes como vasos de plantas, garrafas e pneus, e manter as caixas d’água fechadas.

ENTENDA MELHOR A DENGUE
Ciclo de vida do mosquito transmissor
O ciclo da vida do Aedes aegypti é composto por quatro fases: ovo, larva, pupa e adulto. Após a colocação do ovo, são 10 dias até que o inseto torne-se adulto. Ao atingir essa última fase, ele vive, em média, 30 dias. Só as fêmeas infectadas picam e transmitem a dengue.

A transmissão
1. O mosquito pica alguém doente. Há um período de cerca de 10 dias até que ele comece a transmitir a doença.
2. O mosquito contaminado pica uma pessoa sadia. A pessoa apresenta sintomas, em média, sete dias após ser picada.
3. A epidemia se alastra. O mosquito continuará infectado durante a vida (30 dias).

As formas da doença
Clássica: dor de cabeça e nos olhos; febre alta; dor nos músculos; falta de apetite e/ou fraqueza.
Grave: hemorragias cutâneas, gastrointestinais, gengivais, nasais e/ou uterinas.
Principais sintomas de agravamento: dor abdominal, manchas avermelhadas e/ou náusea e vômito.
Síndrome do choque da dengue: a pressão sanguínea do paciente com dengue hemorrágica vai a zero.

Cuidados
Fique atento com plantas que acumulam água, como bromélias e espadas-de-são-jorge;
Guarde latas, garrafas e tampas em abrigo protegido da chuva.
Lonas, aquários, bacias e brinquedos devem ficar longe da chuva;
Mantenha caixas d’água tampadas, sem rachaduras ou cobertas com tela tipo mosquiteiro;
Piscinas devem ser tratadas com cloro e cobertas;
Preencha os pratos de vasos de plantas com areia.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui