Curta Vitória a Minas II busca histórias em cidades do entorno da ferrovia para transformar em filme

As inscrições para o Curta Vitória a Minas II serão abertas no dia 09 de maio e prosseguirão até 30 de junho no site www.curtavitoriaaminas.com.br

0
69
Com a orientação de profissionais, os dez autores com histórias selecionadas participarão de oficinas audiovisuais, gravarão as cenas na cidade e ainda exibirão o filme em telonas de cinema em sessões abertas e gratuitas por praças e ruas dos municípios de origem

Moradores de 22 municípios situados no entorno da Estrada de Ferro Vitória a Minas poderão realizar o sonho de transformar uma história real ou inventada em curta-metragem. As inscrições para o Curta Vitória a Minas II serão abertas no dia 09 de maio e prosseguirão até 30 de junho através do site www.curtavitoriaaminas.com.br.

No Espírito Santo poderão se inscrever moradores de Fundão, Ibiraçu, João Neiva, Colatina e Baixo Guandu. Em Minas Gerais, o concurso receberá histórias vindas de Aimorés, Itueta, Resplendor, Conselheiro Pena, Tumiritinga, Governador Valadares, Periquito, Naque, Belo Oriente, Santana do Paraíso, Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo, Antônio Dias, João Monlevade, Nova Era e Bela Vista de Minas.

O objetivo é possibilitar aos moradores das cidades que se desenvolveram ao longo da Estrada de Ferro Vitória a Minas a oportunidade de contar histórias e transformar em filme, registrando as memórias, os costumes, os hábitos, as lendas e as peculiaridades destas localidades, contribuindo para o fortalecimento territorial e comunitário.

O Curta Vitória a Minas II é patrocinado pelo Instituto Cultural Vale, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, e conta com a realização do Instituto Marlin Azul, Secretaria Especial de Cultura/Ministério do Turismo/Governo Federal.

Pode se inscrever qualquer pessoa acima de 18 anos, residente em uma das cidades indicadas, que tenha interesse em audiovisual, mesmo sem experiência anterior na área. Cada história deverá ter apenas um autor. No entanto, a mesma pessoa pode inscrever quantas histórias quiser, sendo que apenas uma delas poderá ser selecionada. A temática é livre e não precisa ser relacionada a histórias da ferrovia. Uma comissão integrada por profissionais de cinema escolherá dez histórias a partir de critérios como originalidade do texto e o interesse gerado pelo tema.

Formação, produção e difusão

Os autores selecionados participarão, no período de 13 a 28 de agosto, do Curso de Formação Básica sobre roteiro, direção, produção, fotografia, direção de arte, som, montagem, direito autoral, com a orientação de profissionais das áreas do cinema, televisão, jornalismo e história.  As despesas com transporte, hospedagem, alimentação, equipamentos e serviços para participação nas oficinas serão custeadas pelo projeto.

E com o roteiro e o plano de filmagem em mãos, o autor voltará para a cidade de origem para gravar o filme com o suporte de equipamentos de captação de imagens e de som e a orientação de uma equipe de profissionais audiovisuais. Após as gravações, o autor partirá para a etapa de montagem tendo o acompanhamento de um editor e de um finalizador. As obras comporão um circuito de difusão com exibições abertas e gratuitas em telas de cinema montadas em ruas e praças das cidades participantes.

As ficções e documentários integrarão uma coletânea distribuída para os autores selecionados, instituições culturais e educativas dos municípios selecionados, secretarias municipais e estaduais de educação e cultura do Espírito Santo e Minas Gerais, bibliotecas públicas, pontos de cultura, cineclubes e universidades.

Histórico – 1ª edição

Esta é a segunda edição do Curta Vitória a Minas. Na primeira, lançada em 2014, foram transformadas em filme as seguintes histórias: “Vovó, o Trem e Eu”, de Eloisa Ribeiro, de Fundão (ES); “O Segredo de Giuzzeppe”, de Nilma Scarpati, de Ibiraçu (ES); “A Seta do Galo”, de Sandra Mazzega, de João Neiva (ES); “O Som do Silêncio”, de Juliana Brêda, de Colatina (ES); “O Trem do Amor”, de Vanda Berger, de Baixo Guandu (ES);“Estranha Criatura”, de Rosângela Iglesias Pereira, de Aimorés (MG); “Os Primos do Mundo, de Leonardo Bernardino, de Resplendor (MG); “Deslizando nos Trilhos”, de Ely Moreira da Costa, de Conselheiro Pena (MG); “O Mistério do Caboclo”, de Denilson Patrício, de Tumiritinga (MG); “Contos Ferroviários”, de Everton Villaron de Souza, de Governador Valadares (MG); “Expedição Rio Doce”, de Vitor Augusto de Oliveira, de Periquito (MG); “Recortes”, de Sebastião Nascimento, de Belo Oriente (MG); “Memórias de um Casarão”, de Josias Rodrigues Figueiredo, de Antônio Dias (MG); “Triste Sina, Triste Cena”, de Maria Lenice de Oliveira Sá, de Santana do Paraíso (MG) e “A Carta”, de Márcio Firmo, de Nova Era (MG). Os filmes da primeira edição podem ser assistidos no site www.imacultural.org.br.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui