Conta de água vai ficar 30% mais cara para moradores de 11 bairros em Aracruz

O Saae elevou de 50% para 80% a tarifa de esgoto, apontando o pleno funcionamento da ETE Piranema como razão do aumento

0
178
A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Piranema. Foto: Divulgação/Secom Aracruz

Moradores de 11 bairros e de dois residenciais de Aracruz vão pagar mais caro na conta de água a partir do próximo mês. É que o Saae elevou de 50% para 80% a tarifa de esgoto, apontando o pleno funcionamento da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Piranema, inaugurada em outubro do ano passado no bairro Morobá, como razão do aumento.

Além do Morobá, a ETE Piranema atende os bairros Nova Conquista, Jardins, Polivalente, Vila Nova, Cupido, São Marcos, Planalto, Guaxindiba e Guanabara, além dos residenciais Felicidade e Vila Santi e parte do centro da cidade. A população atendida gira em torno de 27 mil pessoas em mais de 6,7 mil residências.

De acordo com o Saae, a tarifa de esgoto corresponde a 50% da tarifa de água quando coletado e 100% quando tratado. A autarquia lembra ainda que seu regulamento diz no parágrafo primeiro do artigo 14: “a tarifa de esgoto poderá ser diferenciada de água em função da origem e natureza dos investimentos para implantação dos serviços”.

A Prefeitura de Aracruz reforça que o Saae está prestando um novo serviço para tratamento de esgoto doméstico na ETE Piranema, que opera 24 horas por dia, tendo como principais insumos a energia elétrica, manutenções eletromecânicas, descarte de lodo e pessoal.

“Como se trata de um serviço permanente, a taxa de água será elevada em 30%. Desta forma, não haverá um reajuste tarifário, pois somente os munícipes que serão beneficiados com esse importante serviço terão o vencimento alterado”, explica a administração municipal.

Associação de Moradores repudia aumento
A Associação de Moradores do Bairro Morobá (AMBM) repudia veementemente o aumento. “É inadmissível aumentarem essa tarifa sem que as interligações da rede de esgoto do nosso bairro estejam 100% concluídas. Ainda há vários pontos de esgoto caindo no córrego Piranema. A ETE pode estar em pleno funcionamento, mas ainda tem trabalho a ser feito. Do contrário, não estaríamos sofrendo com essa situação. Nossa comunidade vem sendo prejudicada desde o início do empreendimento. É injusto que, mais uma vez, tenhamos que pagar a conta”, diz nota da AMBM.

PUBLICIDADE