Cerca de quatro mil hectares de propriedades rurais inscritos em edital que une preservação do meio ambiente e renda extra

Com adesão gratuita, a ação realizada pelo WWF-Brasil e pela Fundação Renova continua com inscrições abertas a proprietários da bacia do rio Doce

0
10
Foto Ilustrativa: Divulgação

A Fundação Renova e o WWF-Brasil continuam a mobilizar produtores e produtoras rurais em 25 municípios da bacia do rio Doce (oito deles no Espírito Santo) por meio do Edital de Adesão de Produtores Rurais aos Programas de Restauração Florestal. Voltado para ações compensatórias de reflorestamento de áreas degradadas antes do rompimento da barragem de Fundão, o projeto visa atender quem quer aliar preservação ambiental e renda extra por meio do Pagamento por Serviço Ambiental (PSA). A adesão é gratuita e voluntária. As inscrições ficarão abertas até o dia 1º de dezembro no site da Renova. Até o momento, foram cadastrados aproximadamente quatro mil hectares de áreas degradadas.

A meta de engajamento do edital é de cerca de 4,5 mil produtores e produtoras rurais para que seja realizado o reflorestamento de mais de 13 mil hectares nas bacias dos rios Manhuaçu, Santa Maria do Doce, Bananal, Pancas, Corrente Grande e Guandu. Além disso, a ação deve recuperar 960 nascentes nas bacias dos rios Bananal, Pancas, Corrente Grande, Rio Turvo Limpo, São João Grande e São João Pequeno.

O produtor que se inscrever terá como vantagens a construção de bebedouros ou disponibilização de área exclusiva para o gado; melhoria na produção e na qualidade de água e recebimento do PSA após um ano de implantação do projeto. A recompensa é para aqueles que se comprometem a recuperar as áreas dentro da propriedade, em especial nascentes, mananciais e fontes de água. Até o momento, R$ 424 mil foram pagos a produtores e produtoras rurais que se voluntariaram aos programas por meio da ferramenta de PSA na bacia do rio Doce, resultado da restauração de 892 hectares.

De acordo com Felipe Drummond Alves, engenheiro florestal da Fundação Renova, a restauração é uma atividade fundamental para a manutenção dos ecossistemas, uma vez que a produção agropecuária, o esgoto e outras fontes de degradação estão presentes há séculos na região. “Diante da realidade da região, a participação do produtor é essencial, pois as áreas a serem trabalhadas ficam dentro das propriedades. Assim, conseguimos restabelecer a função ecológica do ambiente, melhorar a qualidade e a quantidade de água e regular o clima, conservando a biodiversidade, entre vários outros benefícios”, afirma.

A mobilização está sendo feita de forma remota devido aos riscos impostos pela pandemia de covid-19 e terá o WWF-Brasil como parceiro no processo. A Fundação Renova será a responsável por executar a restauração ambiental com o fornecimento de insumos, mão de obra e a assistência técnica. As visitas de campo e ações do projeto estão previstas para ocorrer a partir do encerramento do período de inscrições do edital, podendo se estender até 2023.

NO ESPÍRITO SANTO, PODEM SE INSCREVER OS PRODUTORES E AS PRODUTORAS RURAIS DOS SEGUINTES TERRITÓRIOS:

Bacia do rio Guandu: Baixo Guandu e Laranja da Terra
Bacia do Santa Maria do Doce: Colatina e São Roque do Canaã
Bacia dos rios São João Grande e São João Pequeno: Colatina
Bacia do rio Pancas: Pancas, Colatina e Marilândia
Bacia do rio Bananal: Rio Bananal e Linhares

O produtor deve ocupar, comprovadamente, propriedade rural localizada nas áreas estipuladas pelo edital. Deve também possuir interesse em recuperar nascentes, APPs ou áreas de recarga hídrica degradadas de sua propriedade (disposição para recuperar acima de 1 hectare).

PUBLICIDADE