Câmara de João Neiva cassa mandato de vereador

O placar foi de 9 votos a 1

0
582
Lucas Recla estava em seu primeiro mandato como vereador de João Neiva. Foto: Reprodução/Facebook

TEXTO ATUALIZADO

A Câmara de João Neiva cassou ontem 26 o mandato do vereador Lucas da Rós Recla (PTB) por 9 votos a 1. O processo de cassação foi interposto pelo vereador Marcelo Almeida Campostrini (Republicanos) sob acusação de Recla ter procedido de modo incompatível com o decoro parlamentar e atentatório contra o próprio Poder Legislativo Municipal.

A Força Tática da Polícia Militar precisou ser chamada para conter uma confusão envolvendo não só os parlamentares como também uma servidora da Câmara Municipal durante a sessão, que foi suspensa por alguns minutos. Houve troca de acusações de agressões.

O parecer da comissão processante, publicado no último dia 18, foi favorável a cassação. De acordo com o relatório final, Lucas Recla, além de fazer uma postagem em uma rede social, reafirmou a acusação de existir uma organização criminosa na Câmara de João Neiva quando fez uso da Tribuna durante a sessão legislativa do último dia 8 de março.

Votaram a favor da cassação: Celso Guzzo, Edilson Mantovani, Eraldo Poleze, Evandro Bocalisa, Farah Oliveira, Glauber Tonon, Júnior Deambrósio, Marcos Ribeiro (suplente em exercício) e Professor Eliel. Simone Dentista foi o único voto contrário.

Em transmissão ao vivo no seu perfil no Instagram, o vereador cassado classificou o episódio como “covardia” e “perseguição”. Eleito com 195 votos no pleito de 2020, ele estava em seu primeiro mandato. A suplente que deve ficar com a vaga dele é Cintia Cyrillo (União Brasil).

PUBLICIDADE