BR-101 continua sendo campeã no número de acidentes

Pesquisa da CNT mostra que foram 2.530 acidentes nas estradas que cortam o Espírito Santo em 2020, sendo 2.233 com vítimas

0
12
Foto: Divulgação

Em 2020, a BR-101, mais uma vez, foi a rodovia com o maior número de acidentes no Brasil. A estrada que atravessa o país é também muito importante para o Espírito Santo, já que, no Estado, ela tem aproximadamente 460 km de extensão, cortando 25 municípios e sendo o principal eixo logístico capixaba, ligando portos, aeroportos e atrações turísticas, cortando o território de Norte a Sul e possibilitando o acesso a diversas outras regiões.

No período, foram contabilizados em toda a BR-101, 8.715 acidentes com vítimas, ocasionando 627 mortes, segundo o Painel CNT – Acidentes Rodoviários. Automóvel foi o tipo de veículo mais envolvido em acidentes com vítimas em 2020 (44,2% do total), seguido das motos (31,8%) e dos caminhões (17,6%).

O estudo ainda apresenta dados específicos das rodovias do Estado. Conforme a publicação, foram 2.530 acidentes nas estradas, sendo 2.233 com vítimas (mortos ou feridos). Ocorreram, em média, 231 acidentes com vítimas a cada 100 km de rodovia no Espírito Santo; no período acumulado de 2007 a 2020, foram 77.912 acidentes, ocasionando o registro de 35.955 vítimas. No perímetro da região, a cada 100 acidentes com vítimas, seis pessoas morreram no ano passado.

Conforme o estudo da CNT, o custo estimado, em 2020, com acidentes ocorridos em rodovias federais no Brasil, chegou a R$ 10,22 bilhões. Os impactos dos acidentes de trânsito vêm sendo observados há anos por diversos setores, como é o caso do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV). “Quando um acidente de trânsito ocorre, as pessoas não se dão conta do efeito que isso gera na sociedade. Todo mundo, por meio dos impostos, acaba desembolsando uma soma importante para custeá-los, uma vez que os gastos com hospitais, médicos, infraestrutura, medicamentos, pronto-atendimento, entre outros, são pagos por meio deles. Consequentemente, esse recurso deixa de ser investido em melhorias na saúde, educação e saneamento básico, que poderiam ter sido feitas, mas não aconteceram por causa dos acidentes de trânsito que poderiam ser evitados”, explica José Aurélio Ramalho, diretor-presidente do ONSV.

Para Guilherme Araújo, porta-voz do Consórcio Pedras Verdes, uma redução no número de acidentes pode ser também conquistada com melhorias no controle de fiscalização de velocidade nas vias. “Cada vez mais, com uso de tecnologia de ponta, é possível fiscalizar e conscientizar condutores e sociedade sobre a importância de limites de velocidade seguros para cada tipo de via. Essa gestão do trânsito, com o aumento do número da frota, se torna cada vez mais complexa, mas hoje em dia já existem soluções integradas que oferecem mais segurança e praticidade a condutores e pedestres, como é o caso do Cerco Eletrônico, uma solução que está em fase de contratação no Espírito Santo”, comenta.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui