Bombeiros dão dicas para aproveitar com segurança banhos em locais de água doce

Rios, lagos e cachoeiras escondem grandes perigos se não houver cautela

0
10
Locais de água doce escondem grandes perigos se não houver cautela. Foto: Divulgação/CBMES

Existe uma falsa impressão de que rios, lagos e cachoeiras são menos perigosos para banhos por não haver ondas. Na verdade, locais de água doce escondem grandes perigos se não houver cautela. Vegetações no fundo da água podem enroscar nas pessoas. Também tem a questão das pedras e dos possíveis buracos. O Corpo de Bombeiros Militar do Espírito Santo listou dicas para os banhistas aproveitarem com segurança banhos em cachoeiras, lagos e rios. Confira:

Entre na água sempre com os pés primeiro, nunca de cabeça, mesmo que você já conheça o lugar. O fundo de rios e cachoeiras sofrem variações de profundidade e um mergulho de cabeça pode causar afogamentos (se estiver mais fundo), graves acidentes (se estiver mais raso) e até mesmo mortes.

Não faça ingestão de bebidas alcoólicas antes do banho ou se for pular de locais altos. O álcool diminui os reflexos e a coordenação motora, o que pode levar a afogamentos.

Atenção máxima ao local onde você pisa. Por mais que pedras pareçam não ser escorregadias, elas podem te fazer escorregar. Limo e barro liso também são igualmente perigosos. Não hesite em usar suas mãos para auxiliar na locomoção e jamais pule de uma pedra para outra, um escorregão e a pessoa pode bater a cabeça ou afundar.

Cabeça d’água é fenômeno comum durante o verão. Consiste no aumento rápido e repentino do nível de um rio, devido as chuvas nas cabeceiras ou em trechos mais acima do local. Ao primeiro sinal da presença de galhos, mudança de cor da agua e aumento do nível da correnteza, saia imediatamente do local e também da margem.

Se você estiver em perigo é essencial que mantenha a calma. Não se debata dentro da água, isso só fara com que você afunde mais rápido e gaste sua energia, flutue sobre a água e acene por socorro. Jamais nade contra a correnteza.

Se você for ajudar alguém, não entre na água. O primeiro passo é ligar para o 193. Jogue objetos flutuantes para que o afogado possa se segurar e espere o profissional capacitado chegar. Não banque o herói, por mais que você seja forte e saiba nadar, não possui equipamentos adequados e preparo técnico para lidar com situações como essa. Além de colocar a vida do outro em risco, você estará colocando a sua.

PUBLICIDADE