Banda de Aracruz, Engesamba leva pagode diferenciado aos palcos

Meio que sem querer, na brincadeira, em um momento de lazer, a Engesamba teve origem em 2015

4
220
Registro da memorável "Tardezinha do Engê", evento realizado este ano no Clube da Orla, em Coqueiral. Foto: Divulgação/Engesamba

Um dos principais nomes da música local, a banda Engesamba – que tem o pagode diferenciado como marca registrada – teve origem em 2015, durante um churrasco de confraternização da primeira turma do curso de Engenharia Mecânica do Ifes – Campus Aracruz. A princípio, era uma apresentação única, em tom de brincadeira. A ideia de Kalil Gebara, João Pedro Avancini, Matheus Dias Gomes e Renan Martins, no entanto, logo viraria coisa séria.

Acreditando no potencial dos alunos, o professor Vinícius Guilherme Celante (in memoriam) incentivou a sequência do trabalho musical e tratou de colocar a Engesamba como atração da festa junina do Ifes – Campus Aracruz, o ‘Arraifes’, de 2016. A partir daí começaram os ensaios para o que seria o primeiro show oficial da banda. Marcante, a apresentação deixou um gosto de quero mais no grupo, que decidido a ir além, buscou estratégias de aperfeiçoamento.

Durante dois anos, a sala de música do Ifes – Campus Aracruz funcionou como incubadora para o Engesamba. Contando com um baterista, um cavaquinista, um guitarrista/violonista e um pandeirista, além de um vocalista, a banda precisava de um baixista e um tecladista para ficar completa. Esse incremento veio em 2018, quando o grupo voltou a se apresentar no ‘Arraifes’.

O novo show foi um divisor de águas para a Engesamba, que a partir dali começou a se apresentar em eventos particulares, clubes e as principais casas noturnas de Aracruz e Região. Tamanho sucesso, inclusive, levou a banda este ano para o concorrido palco de Barra do Sahy, point aracruzense nos meses de verão. Em 2020, a ideia é repetir a dose, marcando presença mais uma vez também em Santa Cruz. Não à toa, os ensaios estão de vento em popa.

“Meio que sem querer, na brincadeira, em um momento de lazer com os colegas de faculdade, a gente formou a Engesamba. Agora, depois de trilhar um caminho, sobretudo, de aprendizado, levando qualidade musical para o nosso público, pensamos grande, queremos alçar voos mais altos e estamos trabalhando forte para isso”, conta Kalil Gebara, vocalista da banda, cujo repertório – iniciado com pagode e samba – caminha por quase todos os estilos. “Essa é razão do nosso pagode diferenciado. Somos bem ecléticos”, completa o cantor.

Henrique Bolonha, Matheuzinho, Brendo Paulo, Kalil Gebara, João Avancini, o Bill Mustang; e Bruno Bahia. Foto: Divulgação/Engesamba

Além de Kalil, João Pedro Avancini (cavaquinista) e Matheus Dias Gomes, o Matheuzinho (percussionista), da primeira formação, a Engesamba é atualmente composta pelos músicos Brendo Paulo (contrabaixista); Bruno Santana, o Bahia (tecladista); Daniel Miranda, o Bill Mustang (baterista); e Henrique Bolonha (guitarrista/violonista).

CONTATOS PARA SHOWS
E-mail: engesamba@gmail.com
Instagram: @engesamba
Telefones: (27) 99700-0859 / 99611-1207

PUBLICIDADE

4 COMENTÁRIOS

  1. Pensava que era só fogo de palha, me surpreendi, fora da corujisse, que meninos bons! Contagiam mesmo a galera que cantam, dançam, formando uma mega banda!
    Parabéns!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui