Assembleia homenageia os 30 anos da Loja Maçônica Joacy Palhano

Autor do requerimento de realização da sessão, o deputado Doutor Hércules resgatou a história da loja que é federada ao Grande Oriente do Brasil (GOB) e falou da satisfação em homenagear os irmãos, forma pela qual os maçons se cumprimentam

0
76
Maçons receberam título em solenidade na Assembleia, proposta pelo deputado Dr. Hércules Silveira, que é maçom. Foto: Tati Beling

Por Nicolle Expósito

No dia 14 de março de 1990, na sala de reuniões do comando-geral da Polícia Militar do Espírito Santo, era constituída a Loja Maçônica Joacy Palhano (nº 2.585). A instituição que leva o nome de um dos mais destacados maçons do Estado chega aos 30 anos com reconhecimento da Assembleia Legislativa, manifesto em sessão solene realizada na sexta-feira 13, última antes da suspensão pelo Coronavírus.

Autor do requerimento de realização da sessão, o deputado Doutor Hércules resgatou a história da loja que é federada ao Grande Oriente do Brasil (GOB) e falou da satisfação em homenagear os irmãos, forma pela qual os maçons se cumprimentam. “Acredito que quando nos reunimos, juntamos nossas vontades de fazer o melhor a quem precisa. É quando homens e mulheres bem-intencionados decidem se unir que boas coisas acontecem”, pontuou.

O venerável-mestre da Loja Joacy Palhano, Kheytte Vasconcelos Gomes, agradeceu a homenagem. “Uma oportunidade de perpetuar esta histórica e ativa Loja Maçônica, que há 30 anos realiza com intensidade o estudo e as práticas das virtudes para a evolução dos seus membros e o apoio aos cidadãos que ainda não receberam oportunidades e que por isso vivem com restrições e com necessidades”, destacou.

O venerável recebeu do presidente do capítulo Damon e Pythias da Ordem Demolay do Estado, Ivan Pedro Galvão Fernandes, um documento histórico sobre Joacy Palhano. O jovem também agradeceu o apoio recebido da instituição. “A Ordem Demolay é o futuro da maçonaria. Não à toa precisamos do apoio dos tios (forma como se referem aos maçons) para incentivar os mais jovens a continuarem na Ordem e ingressarem na Maçonaria”, disse Ivan.

Um exemplo do apoio social da Maçonaria foi apresentado por Verônica Lopes de Jesus, representante do Instituto Ponte, ONG que tem como objetivo oferecer oportunidade de educação de qualidade para jovens de escolas públicas e de famílias de baixa renda. Muitos são destaques em olimpíadas acadêmicas nacionais e internacionais. Em 2018 e 2019 a organização esteve entre as 100 melhores ONGs do Brasil e ganhou Prêmio Boas Práticas de Gestão pela transparência.

Quatro fundadores da Loja Maçônica Joacy Palhano receberam o título de Benemérito da entidade, concedido a maçons regulares com atuação reconhecida. Os homenageados foram João Manoel Freire, Douglas José Gozolli, Osly da Silva Ferreira e Antônio Placidino Gregio. O grão-mestre honorário do Grande Oriente do Brasil no Espírito Santo, David Cruz foi condecorado com a Comenda da Ordem do Mérito Domingos Martins, a mais alta honraria da Assembleia Legislativa.

PUBLICIDADE