Aracruz se despede da Rainha do Congo

O local em que ela morreu e onde será sepultada ainda não foram informados

0
178
(Foto: Luã Quintão) -Dona Astrogilda, um dos maiores símbolos culturais do Espírito Santo, morreu hoje 19

Dona Astrogilda Ribeiro dos Santos, 87 anos, uma das maiores figuras da cultura aracruzense, morreu hoje 19, deixando um legado no Congo de Vila do Riacho, do qual era a rainha. Ela foi uma figura importante no movimento do Congo Capixaba. Baiana, seu nome é homenageado pelo Coletivo de Mulheres Dona Astrogilda, de Aracruz, que está inserido em bandeiras sociais que a própria rainha do congo viu nascer.

Devota fiel a São Benedito, Astrogilda deu vida ao Congo de Vila do Riacho e tem sua história entrelaçada ao do Congo de Aracruz. Além de ser uma das figuras mais importantes do movimento cultural do Espírito Santo, ela é símbolo de luta e resistência no movimento negro.

Dona Astrogilda nasceu no Congo e desde pequena, junto de sua mãe, que também era rainha, e de seu pai, que era mestre, dedicou sua vida a espalhar uma mensagem de amor pela arte. Foi aos 20 anos de idade, já moradora de Vila do Riacho, que ela teve a oportunidade de mostrar seu carinho pela manifestação de fé e alegria, tomando a frente da Banda de Congo São Benedito do Rosário, a primeira do Brasil.

E nos últimos 65 anos dona Astrogilda deu vida ao congo de Aracruz, se tornando um símbolo de manifestação cultural em todo o Espírito Santo. Seu trabalho impulsionou uma cultura originalmente capixaba e que carrega uma bagagem cultural de um povo que através da música, conseguiu manter viva as tradições de seu lar.

Sua atuação no Congo Capixaba foi celebrada com o título “Mestre da Cultura Popular do Estado do Espírito Santo“, sendo reconhecida como uma das 10 pessoas que atuaram na defesa e manutenção da cultura popular no Estado.

Dona Astrogilda também foi inspiração para a canção da banda “Casaca”, que ilustrou o documentário “Astrogilda, o Congo é sua Vida”, de Rogério Sarmenghi. Na música, ela é chamada de “Mulher forte e guerreira, de valor e nobreza. Firme na sua crença, não conhece a tristeza”.

PUBLICIDADE