Aracruz registra redução de 77% nos crimes contra a vida

No levantamento dos últimos 22 anos, o município registrou no primeiro semestre de 2020 o menor número de homicídios dolosos consumados

0
20
Juntos, o Cerco Eletrônico e a Central de Videomonitoramento, que hoje opera com 66 câmeras em todo o município, compõem a Central Integrada de Segurança Pública (CISP) de Aracruz, que oferta às forças policiais mais poder de investigação e inteligência no combate ao crime. Foto: Divulgação

Graças à atuação das polícias civil e militar e a um eficiente e moderno sistema de videomonitoramento, Aracruz apresentou o menor número de homicídios na região Norte, com 55,6% a menos no comparativo com 2019, sendo que, de janeiro a maio, foram 12 mortes violentas, contra 27 do ano passado. No levantamento dos últimos 22 anos, o município registrou no primeiro semestre de 2020 o menor número de homicídios dolosos consumados: cinco casos contra 22 ocorridos no mesmo período do ano passado, o que representa uma redução de 77%.

O delegado titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), André Jaretta Ardison, considerou os resultados positivos e os atribuiu à atuação das forças policiais e a Central Integrada de Segurança Pública de Aracruz (CISP). “O cerco eletrônico e as câmeras de videomonitoramento têm contribuído muito com esse resultado. Como exemplo, recentemente, a CISP flagrou e acompanhou um indivíduo tentando atropelar outra pessoa. A Polícia Militar foi acionada, compareceu ao local e o prendeu em flagrante por tentativa de homicídio. Desta forma, as câmeras impediram esse crime, além das imagens serem usadas como prova da ação para a conclusão do inquérito policial. Por isso, só temos a agradecer e parabenizar a todos pelo trabalho”, ressaltou.

Ainda de acordo com o delegado, Aracruz encerrou o primeiro semestre de 2020 com apenas cinco homicídios consumados. “Esse é o menor índice desde 1998, quando havia cerca de 60 mil habitantes. E hoje, com mais de 100 mil habitantes, temos um número ainda menor do que em 1998, o que é muito positivo. Trata-se de um marco histórico em Aracruz, um resultado nunca antes visto na cidade, o que é um reflexo de um bom trabalho das forças de segurança com apoio da prefeitura, por meio das câmeras de videomonitoramento e do cerco eletrônico”, completou.

A barreira eletrônica de alta tecnologia já vem monitorando 15 pontos da sede, contendo 32 faixas para o reconhecimento ótico de caracteres capazes de identificar todos os veículos que passarem pelos pontos da barreira. Seus mecanismos permitem alcançar objetivos estratégicos na área de Segurança Pública, com a prevenção e combate à violência, permitindo o monitoramento de todos os veículos que chegam ou saem da cidade, apurando quais foram furtados ou roubados, além de outros com restrições que estejam circulando.

PUBLICIDADE