Aracruz registra quase 200 milímetros de chuva, que caiu forte também em João Neiva

No decorrer desta quinta-feira 23, áreas de instabilidade continuam ativas sobre Espírito Santo e provocam chuva por todo o Estado

0
417
Na madrugada desta quinta-feira 23, em apenas 1h, João Neiva registrou quase 50 milímetros de chuva. A rua Euríco Sáles, onde está situado o hospital da cidade foi uma das vias que ficaram alagadas. Foto: Reprodução/WhatsApp

De acordo com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), ontem 22, em apenas 6 horas, entre aproximadamente 17h e 23h, choveu 193 milímetros sobre o distrito de Jacupemba, em Aracruz. Lá e também na localidade de Barra do Riacho, alagamentos causaram prejuízos para moradores. De acordo com a Defesa Civil Municipal, 16 pessoas precisaram deixar suas casas após as fortes chuvas.

Ainda em Aracruz, na rodovia ES-445 (estrada das carretas), que liga Vila do Riacho a Jacupemba, parte do asfalto cedeu deixando o trânsito totalmente interditado em um trecho próximo ao portal acessado pela BR-101 devido ao risco de desmoronamento. De acordo com o Departamento de Edificações e de Rodovias (DER-ES) não existe previsão de liberação do trecho e um desvio foi feito em uma estrada (Cachoeirinha) rural da região.

Já no começo da madrugada de hoje 23, a chuva caiu forte sobre João Neiva e o Cemaden registrou 49,3 milímetros de chuva em apenas 1 hora. O Clotário, um dos rios que corta o município, transbordou e alagou ruas, como a Euríco Salles, onde está situado o Hospital e Maternidade Sagrado Coração de Maria, no centro. O Estádio Artêmio Sarcinelli também foi tomado pela água.

No decorrer desta quinta-feira 23, áreas de instabilidade continuam ativas sobre o Espírito Santo e provocam chuva por todo o Estado. Ela pode ser forte e volumosa em muitas áreas. A previsão é de que ainda chova forte até o próximo domingo 27.

Além da região Sul do Estado, onde enchentes e enxurradas afetaram quatro municípios na semana passada, outra preocupação é com o nível do rio Doce, que vem de Minas Gerais e desemboca no mar na altura de Linhares.

No último boletim do Serviço Geológico do Brasil, do dia 21, ainda não havia alertas para a bacia do rio Doce. Porém, tem chovido muito sobre Minas Gerais, onde estão a nascente e os principais afluentes alimentadores do rio Doce, e a previsão é de muita chuva também sobre os municípios mineiros nos próximos dias.

PUBLICIDADE