Aracruz registra espécie rara de barbeiro potencial transmissor da Doença de Chagas

Uma espécie rara de barbeiro, potencial transmissor da Doença de Chagas, foi encontrada no município de Aracruz

0
253
Segundo o pesquisador voluntário do Instituto e coordenador do projeto, o entomologista David Martins, o barbeiro é da subfamília ‘Triatominae’, da família ‘Reduviidae’ e ‘Hemiptera’

Uma espécie rara de barbeiro, potencial transmissor da Doença de Chagas, foi encontrada no município de Aracruz. A novidade é fruto de um projeto de pesquisa sobre a biodiversidade de insetos no Estado, desenvolvido pelo Incaper há mais de 20 anos.

Segundo o pesquisador voluntário do Instituto e coordenador do projeto, o entomologista David Martins, o barbeiro é da subfamília ‘Triatominae‘, da família ‘Reduviidae’ e ‘Hemiptera’. Ele contou que, atualmente, existem 156 espécies desse inseto no mundo e dessas, ocorrem 66 no Brasil, sendo oito espécies no Espírito Santo e mais essa, a 9º espécie identificada recentemente no Estado.

Segundo David Martins, a espécie rara de barbeiro foi coletada no Espírito Santo, no município de Aracruz, ainda em 1997, porém encontrava-se sem identificação na coleção de insetos da época. Foi por meio do projeto desenvolvido pelo Incaper que esse triatomíneo enfim foi localizado e identificado no Instituto Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro.

Ainda de acordo com Martins, todos esses anos de estudos também constataram espécies novas de insetos até então desconhecidas para a Ciência e que foram descritas. São novos registros de espécies para o Estado, com a catalogação de mais de seis mil espécies, já com registros de ocorrência no Estado. “É um número ainda muito pequeno e que deve aumentar significativamente, assim que mais estudos forem desenvolvidos. O Espírito Santo, devido a sua heterogeneidade de ambientes e vegetações de Mata Atlântica e suas condições edafoclimáticas, tem uma diversidade de insetos muito grande”, destacou.

PUBLICIDADE