ANTT sugere duplicação da BR-101 sem o trecho da reserva de Sooretama

O Ibama prevê a análise final do pedido da Eco101 para suprimir da duplicação o trecho da Rebio, até junho ou julho deste ano, para emitir ou não a Licença Prévia (LP)

0
39
A rodovia BR-101 recorta a Rebio de Sooretama. Foto: Divulgação

Em documento enviado à Concessionária Eco101 em 06 de abril último, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) sugere a supressão da duplicação do trecho de 25 quilômetros dentro da área da Reserva Biológica de Sooretama (Rebio), que envolve a vizinha reserva da Vale, em Linhares, como alternativa para o Ibama liberar as obras no Trecho Norte da rodovia BR-101.

O assunto foi debatido na reunião virtual de ontem 06 da Comissão de Fiscalização do contrato de concessão da rodovia, na Assembleia Legislativa, com o presidente e o superintendente da Eco101, respectivamente Alberto Luiz Rodi e Carlos Xisto. O presidente da Comissão, deputado Fabrício Gandini, alertou que a duplicação do trecho Norte pode passar por outro entrave, que é a reserva florestal de Goitacazes, com 7 km de extensão entre o distrito de Bebedouro e a ponte sobre o rio Doce, em Linhares, que não tem definição de licenciamento ambiental pelo Ibama.

Gandini criticou o ICMBio, responsável pela Rebio de Sooretama, de ter se omitido, em 2014, contra a duplicação da rodovia, e só vindo a se manifestar em julho de 2018, após o Ibama ter aceitado o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) proposto pela Eco101, quando definiu que o trecho não poderia ser duplicado. “Na época, o ICMBio apenas pediu uma atenção especial ao trecho”, destacou Gandini.

O Ibama prevê a análise final do pedido da Eco101 para suprimir da duplicação o trecho da Rebio, até junho ou julho deste ano, para emitir ou não a Licença Prévia (LP). O deputado Marcus Garcia foi crítico ao dizer que o Norte está abandonado, e que uma viagem entre Linhares e Vitória leva, atualmente, cerca de três horas para percorrer 126 km.

PUBLICIDADE